São José

Dilma diz que PSDB tenta procurar culpado para possível derrota

Em caminhada no interior paulista, presidenta ironiza ameaça de Aécio Neves de mover ação por suposto uso político dos Correios e afirma que está preparada para enfrentar eventual segundo turno

Paulo Pinto/Analítica/FotosPúblicas
padilha_dilma_Paulo Pinto_Analítica.jpg

No Vale do Paraíba, presidenta fez ao lado de Padilha um dos últimos atos de campanha

São Paulo – A presidenta Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, afirmou hoje (3) que o PSDB tenta encontrar culpados para uma possível derrota no domingo. Durante caminhada em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, interior paulista, ela foi questionada sobre a apresentação de denúncia pelo adversário tucano, Aécio Neves, que acusa o governo de usar os Correios na campanha petista.

“É uma coisa interessante essa história que aparece sempre que alguém corre o risco de perder a eleição, que é atribuir a responsabilidade a outro. No que se refere a aparelhamento, é bom dizer que o Brasil saiu de 2002 com um gasto com funcionamento público federal de 4,8% para 4,2%”, afirmou a presidenta, dizendo que houve contratações em algumas áreas e uma mudança na relação com o funcionalismo público ao longo de 12 anos de governos do PT.

Ontem, no Rio de Janeiro, Aécio informou que ingressará com ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por suposto uso político da máquina pública. A acusação é de que materiais de campanha do tucano deixaram de ser entregues pelos Correios, alvo também de suposta denúncia de que agentes públicos estariam trabalhando pela campanha de Dilma.

Na entrevista coletiva, a presidenta foi também questionada se está otimista sobre a possibilidade de vitória no primeiro turno, expressa em recentes pesquisas de intenção de voto, com crescimento da candidatura da situação e queda da candidata do PSB, Marina Silva, até então a segunda colocada na disputa.

“Estamos contando com o segundo turno. Vamos daqui para frente lutar e apresentar nossas propostas de educação, saúde, moradia, o Pronatec”, disse, afirmando ainda que não tem preferência entre enfrentar Marina e Aécio. Para ela, o segundo turno poderá melhorar o nível dos debates, já que polariza candidaturas.

Foi esta a crítica que ela fez ao encontro de ontem na Globo, com a presença de sete candidatos. “Um bom debate, com as limitações que um debate com sete pessoas tem, porque você tem um minuto e meio para responder, 40 minutos para a réplica e a tréplica. Isso é um momento muito curto para fazer de fato confronto de propostas.”

Depois do evento em São José ao lado do candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, Dilma viajou à capital paulista para um ato em conjunto com Luiz Inácio Lula da Silva. Amanhã os três encerram a campanha do primeiro turno com uma caminhada em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.