Home Eleições 2014 Agnelo recebe apoio do PT e vota acompanhado de Gilberto Carvalho
No DF

Agnelo recebe apoio do PT e vota acompanhado de Gilberto Carvalho

Governador do Distrito Federal, que disputa uma posição no segundo turno, disse que está confiante com resultado das urnas
Publicado por Hylda Cavalcanti, da RBA
17:32
Compartilhar:   
Alan Marques/Folhapress
Agnelo

Agnelo, à direita, votou na manhã de hoje, em companhia do ex-ministro Gilberto Carvalho

Brasília – O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), tem grandes chances de ficar de fora da disputa do segundo turno das eleições ao governo que hoje ocupa. Contudo ele recebeu o apoio intenso, nos últimos dias, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de integrantes do PT nacional, como o ex-ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, que fizeram esforços no sentido de ampliar o número de eleitores para o candidato do partido.

Lula participou de um dos últimos comícios de Agnelo, onde pediu apoio e conversou com lideranças políticas para auxiliarem na campanha do governador. Já Carvalho (que deixou o cargo para trabalhar na campanha à reeleição da presidenta Dilma Rousseff, acompanhou Queiroz até a seção onde o governador votou, neste domingo (5), localizada na Asa Sul.

Em empate técnico com o candidato do PR, Jofran Frejat, Agnelo Queiroz aparece, na última pesquisa, no terceiro lugar, com 20% do total de intenção de votos do eleitorado, contra 23% de Frejat. Ele tirou fotos com os eleitores, disse estar confiante que irá para o segundo turno e prometeu dar continuidade aos projetos em andamento, caso seja reeleito. No entanto o clima entre militantes do PT no Distrito Federal é de abatimento e incerteza em relação ao resultado.

Gilberto Carvalho afirmou que foi a própria presidenta Dilma Rousseff quem pediu para que ele acompanhasse o candidato ao governo do DF durante esta manhã e que está confiante num segundo turno no Distrito Federal. “Eu acho que o segundo turno fará com que o governador possa também romper essa barreira e mostrar o padrão de governo que foi feito aqui. Não há como não reconhecer as transformações que a cidade sofreu nos últimos anos”, ressaltou.

Depois de votar nesta manhã, quando questionado sobre o alto índice de rejeição do eleitorado, Agnelo repetiu o que já vinha afirmando anteriormente. Primeiro, argumentou que pegou o governo praticamente falido em 2010 e começou a administração “do zero”, motivo pelo qual não teve condições de cumprir todas as promessas de campanha. Depois, comentou que considera muitas pesquisas “manipuladas”, o que faz com que não reflitam o verdadeiro sentimento dos eleitores. “Vamos ver o resultado disso quando forem abertas as urnas”, salientou.