#SalveAEducação

Entidades realizam mobilização nacional contra cortes no orçamento da Educação

Governo Bolsonaro propõe retirada de R$ 1,8 bi das instituições federais; fomento à pesquisa também está ameaçado

Divulgação: Adufla/Andes
Nas redes sociais, movimento estudantil promove 'tuitaço' com a hashtag #SalveAEducação para denunciar os cortes no orçamento da Educação

São Paulo – Estudantes e trabalhadores da educação realizam manifestações por todo o Brasil, nesta quarta-feira (23), contra os novos cortes no orçamento, proposto pelo presidente Jair Bolsonaro. O movimento reivindica a aprovação de um orçamento justo para a educação em 2021.

Os estudantes criticam a proposta de orçamento do governo Bolsonaro que corta R$ 1,8 bilhão nas despesas discricionárias nas instituições federais de ensino. De acordo com eles, essa redução afeta a adaptação para o retorno das aulas presenciais e o Programa de Assistência Estudantil (Pnaes) nas universidades e institutos federais.

“Todo estudante sabe a diferença que faz ter um bandejão a um preço menor, pra que a conta feche no fim do mês. Sem recursos do Pnaes, o preço pode aumentar. Como o estudante vai se manter na universidade sem dinheiro pra comer? O país sai perdendo”, alertou o presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Iago Montalvão.

Além disso, as duas agências de fomento da pesquisa no Brasil, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), estão com seus orçamentos dependentes de créditos suplementares, o que pode comprometer o pagamento das bolsas em 2021.

“O ano de 2021 é de reconstrução do país. Os investimentos em pesquisa, ciência e tecnologia são estratégicos! Mas o governo federal pensa o contrário e planeja cortes na Educação para o ano que vem”, defendeu a deputada federal Rosa Neide (PT-MT).

Nas ruas e tuitaço

As entidades estudantis também reivindicam o respeito à autonomia universitária e da nomeação de reitores e concursados. Também é pauta a instalação da Comissão Mista de Orçamento e uma Comissão-Geral no Parlamento brasileiro para discutir os recursos para a Educação para 2021.

O ato foi convocado pela UNE, junto com a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG). Em Brasília, eles realizam um ato na Esplanada dos Ministérios, pela manhã. Estão previstas manifestações em outras capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) endossou o protesto e acompanhará os estudantes nas manifestações. “Vamos fazer uma grande agitação da educação. Basta de ataques aos profissionais da educação e aos estudantes. Não podemos aceitar a redução do orçamento da educação para 2021. Precisamos de mais investimentos, mas com esse desgoverno não há condições”, disse o presidente da entidade, Heleno Araújo.

Nas redes sociais, principalmente no Twitter, o movimento estudantil promove, desde às 10h, um ‘tuitaço’ com a hashtag #SalveAEducação para denunciar os cortes no orçamento da Educação.

DIVULGAÇÃO