Home Educação Estudantes do Cefet no Rio fazem ‘barreira humana’ contra interventor
Não foi convidado

Estudantes do Cefet no Rio fazem ‘barreira humana’ contra interventor

Após reunião de novo diretor, nomeado por Abraham Weintraub (MEC), com coordenação da escola, alunos cercam sala
Publicado por Felipe Mascari
14:37
Compartilhar:   
ALBERTO DE LIMA/TWITTER

Elika Takimoto, relata que, durante a reunião, o interventor disse que está em caráter temporário no colégio, porém estudantes e professores não acreditam na promessa

São Paulo – Estudantes do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) do Rio de Janeiro voltaram a protestar contra o interventor Maurício Aires Vieira. Prestes a assumir o posto de diretor-geral na instituição, Vieira se reuniu com coordenadores do colégio, mas é impedido de deixar a sala – no campus Maracanã – após uma “barreira humana” formada pelos alunos.

A professora coordenadora de Física do Cefet, Elika Takimoto, relata que, durante a reunião, o interventor disse que está em caráter temporário no colégio, porém estudantes e professores não acreditam na promessa. “Os alunos, assim que souberam que houve a reunião entre coordenadores, fizeram uma barreira do lado de fora. Estamos presos do lado de dentro. O interventor diz que está em caráter temporário, mas ninguém acredita, visto as falas do ministro da Educação (Abraham Weintraub). Ele (interventor) ainda disse que os alunos agem assim pois estão mal informados”, relatou ela.

Durante a reunião, a professora demonstrou sua insatisfação com a fala do ministro, que justificou a indicação de Maurício para “eliminar petistas e psolistas” do Cefet. “Isso mostra que o ministro desconhece a nossa realidade e história aqui. O diretor antigo teve sérios problemas com o governo do PT, ou seja, aqui só tem professor que escolhemos, independentemente de partido. Essa resposta dos alunos é a resistência”, afirmou.

No último dia 22, os estudantes também fizera uma barreira humana, que impossibilitou a entrada do novo diretor-geral na sala da direção e outras áreas da escola. Ele acabou deixando o local após 30 minutos de sua chegada. De acordo com a comunidade, o governo federal não respeitou a escolha da instituição para o cargo.

Elika relatou que o professor não tem qualquer relação com o Cefet e desconhece por completo a instituição. Vieira ocupava o cargo de assessor da Secretaria Executiva do Ministério da Educação, há três meses. Antes, foi vice-reitor da Universidade Federal do Pampa (Unipampa). Segundo Elika, a indicação pode ser parte da estratégia para implementação do programa Future-se no Cefet, já que a unidade é considerada modelo no sistema educacional.