Home Educação Estudantes e movimentos tomam a Candelária em defesa das universidades e da aposentadoria
NO RIO

Estudantes e movimentos tomam a Candelária em defesa das universidades e da aposentadoria

“Nós defendemos a liberdade, a diversidade, a democracia, a educação brasileira e a Previdência pública. Não estamos aqui para defender privilégio nenhum”, afirma a deputada Jandira Feghali
Publicado por Helder Lima, da RBA
19:31
Compartilhar:   
divulgação

Candelária: “Nós defendemos a liberdade, a diversidade, a democracia, a educação brasileira e a Previdência pública", disse Jandira

São Paulo – As pautas de defesa da educação e defesa da aposentadoria e contra o pacote de segurança do ministro da Justiça, Sergio Moro, atraíram uma multidão para a área da Igreja da Candelária, no centro do Rio de Janeiro, tomada por manifestantes no fim da tarde desta quinta-feira (30). Depois, por volta de 18h, estudantes, trabalhadores e professores fizeram caminhada pela Avenida Rio Branco até alcançar a Cinelândia, também na região central.

O ato foi organizado pelas universidades federais, como a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade Federal Fluminense (UFF), pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e movimentos sociais.

“Nós defendemos a liberdade, a diversidade, a democracia, a educação brasileira e a Previdência Pública. Não estamos aqui para defender privilégio nenhum, estamos aqui para defender o presente e o futuro da juventude brasileira. Estamos aqui para defender o ensino público, e para defender a aposentadoria em uma previdência solidária”, afirmou no carro de som a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

Durante o discurso, a deputada criticou as manifestações do domingo (26), em defesa do governo, destacando que a mídia tentou colar a essa mobilização as pautas de defesa da reforma da Previdência e do pacote de segurança do Moro. Jandira classificou isso como “mentira da mídia”.

Segundo Jandira, o domingo demonstrou a fragilidade desse governo, já que os atos foram bem menores do que a mobilização dos estudantes. “Nós vamos defender a educação pública, quem defende a bandeira verde e amarela somos nós. A gente não bate continência para a bandeira americana”, afirmou.