resistência

Assembleia Legislativa de São Paulo faz audiência em defesa das universidades públicas

Reunião quer se contrapor à CPI das Universidades, que busca enfraquecer e desmoralizar as instituições de ensino

Marco Antonio Cardelino/Alesp
Sessão na Alesp contou com a presença de docentes, alunos e entidades em defesa das universidades

São Paulo – Educadores, estudantes, entidades ligadas à educação e parlamentares se reuniram nessa quinta-feira (23), na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), para a realização de uma audiência pública com o tema “Universidades em Debate”.  O objetivo é se contrapor à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Universidades, instalada pela Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), buscando enfraquecer e desmoralizar as instituições de ensino.

A sessão, convocada pela deputada Maria Izabel de Azevedo Noronha, a Bebel (PT), discutiu o contingenciamento do orçamento realizado pelo ministério da Educação e o congelamento de bolsas da Capes, com efeitos negativos para as universidades e os estudantes.

Raquel Melo, da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), afirma que a estrutura das instituições de ensino está ameaçada. “Essa bancada reacionária faz um ataque para poder causar um desmonte no caráter público da universidade, dando lugar a grandes oligopólios educacionais. Isso é um projeto de entrega das universidades”, criticou, em entrevista à repórter Dayane Ponte, da TVT.

Algumas propostas foram apresentadas no debate, como, por exemplo, o investimento da iniciativa privada nas universidades públicas, mas professores e alunos discordam. De acordo com o professor Rodrigo Ricupero, diretor da Associação de Docentes da USP (Adusp), essas propostas não chegam perto de solucionar a falta de investimentos nas instituições.

“No mundo todo, as grandes universidades de pesquisa recebem fundamentalmente dinheiro público. Pode ter um pouco de dinheiro privado, mas é mentira que, nos Estados Unidos, as universidades vivam do dinheiro privado”, explicou ele.

A deputada Bebel ressaltou que as despesas com educação não devem ser consideradas como gasto, mas sim investimento do Estado. Segundo a deputada, a educação básica deve ser fortalecida para que todos possam ter condições de ingressar em universidades públicas, onde hoje a maior parte dos estudantes vem de colégios privados.

A CPI instalada na Casa é um projeto de autoria do deputado Wellington Moura (PRB), parlamentar da base do governo de João Doria (PSDB). A proposta do governo é investigar as contas da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Assista à reportagem da TVT