Polêmica dos livros

Ministério demite 10 no Fundo Nacional de Educação

Entre eles está o chefe de gabinete Rogério Fernando Lot, responsável por assinar o polêmico edital de livros didáticos, que permitia publicidade e erros de português nas obras indicadas às escolas

Cido Marques/ FCC / Fotos Públicas
livros didáticos

Polêmica sobre edital dos livros causa demissões

São Paulo – O chefe de gabinete do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Rogério Fernando Lot, e mais nove pessoas foram exonerados pelo ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, de seus cargos comissionados. As demissões ocorreram nesta sexta-feira (11), de acordo com informações do Poder 360.

Lot assinou o novo edital do PNLD, o Programa Nacional do Livro Didático 2020, publicado em 2 de janeiro. As mudanças, entre outras polêmicas, derrubaram a proibição de erros de português e de publicidade nos materiais didáticos que seriam distribuídos a alunos do ensino fundamental (6º a 9º ano) das escolas públicas em 2020.

Na quarta-feira (9), o Ministério da Educação suspendeu o edital do PNLD e, em nota, o ministro afirmou que as alterações foram feitas em 28 de dezembro de 2018, durante a gestão de Michel Temer (MDB). Uma sindicância foi instaurada na quinta-feira (10) para apurar responsabilidades.

O ex-ministro da Educação Rossieli Soares – que agora ocupa a mesma pasta no governo do estado de São Paulo, com João Doria (PSDB) – negou que tenha encaminhado as mudanças para publicação.