Enterro da Educação

Protesto em São Paulo denuncia desmonte do ensino público superior no estado

Em ato artístico, manifestantes interpretaram o desalento promovido por reitores e governadores nas universidades

TVT/Reprodução
Enterro da educação

Em ato, alunos e professores encenam o enterro da educação, com caixão que ‘carrega’ universidades públicas

São Paulo – Professores e alunos das universidades públicas de São Paulo realizaram nesta segunda-feira (18), no centro da capital paulista, um enterro simbólico do ensino público superior. O ato chamou a atenção para o desmonte da educação promovido pelos sucessivos governos do PSDB e que o atual governador, Marcio França (PSB), mantém.

“A universidade está morrendo e ela precisa de ajuda, então alguém precisa olhar pela gente”, afirmou o estudante de artes cênicas Ricardo Yuri da Silva, que fez o papel de Marcio França na encenação. Durante o ato foram apontadas as implicações do desmonte no ensino superior, como a dificuldade de alunos cotistas se manterem nas universidades, a pequena quantidade de bolsas, as irregularidades nos repasses financeiros de verbas públicas para as instituições e a falta de professores.

A situação dos docentes foi relembrada também pelo professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Fábio Miguel, que acompanhava o cortejo fúnebre, iniciado no Teatro Municipal que seguiu até a frente da reitoria da universidade, também no Centro.

“Os professores estão tendo que trabalhar muito mais do que compete a sua carga horária e isso acaba com a qualidade de ensino, pesquisa e extensão da universidade”, denunciou Miguel. Segundo ele, desde 2016, a categoria não recebe reajustes salariais prometidos pela administração da universidade estadual.

Assista à reportagem completa: