Deflação

Com economia no chão, ‘prévia’ da inflação registra menor índice mensal desde 1994

IPCA-15 variou -0,59% em maio, segundo o IBGE, com destaque para combustíveis. Em 12 meses, soma 1,96%

Reprodução
Preço médio da gasolina nas bombas caiu 8,51%, puxando a inflação para baixo

São Paulo – Reflexo da economia em baixa, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) variou -0,59% em maio, menor taxa desde o início do Plano Real, em 1994. Segundo o IBGE, que divulgou os resultados nesta terça-feira (26), o índice considerado “prévia” da inflação oficial varia 0,35% no ano e 1,96% em 12 meses. Itens como combustíveis, energia elétrica e gás influenciaram no resultado geral.

De acordo com o instituto, dos nove grupos que compõem o IPCA-15, cinco tiveram deflação, com destaque para Transportes: -3,15%, com impacto de -0,63 ponto percentual no índice geral. Os preços dos combustíveis caíram 8,54%, em média. Só a gasolina teve recuo de 8,51%, com impacto de 0,41 ponto. O etanol caiu mais ainda, 10,40%. Também tiveram queda o óleo diesel (-5,50%) e o gás veicular (-1,21%). E as passagens aéreas, que haviam aumentando em abril, agora variaram -27,08% (-0,17 ponto).

Entre os grupos com alta, Alimentação e Bebidas variou 0,46%, mas menos do que no mês anterior (2,46%) – os produtos para consumo no domicílio passaram de 3,14% para 0,60%. Já a alimentação fora do domicílio foi de 0,94% para 0,13%.

O item de maior alta foi a a cebola, 33,59% de aumento e 0,04 ponto de impacto. O IBGE destaca ainda as variações de batata inglesa (16,91%), feijão carioca (13,62%), alho (5,22%) e arroz (2,59%). Caíram os preços de cenoura (-6,41%) e carnes (-1,33%, representando -0,03 ponto).

Gás e energia elétrica

No grupo de maior peso, Habitação, o IBGE apurou variação de -0,27% neste mês. A energia elétrica caiu 0,72%, com peso de -0,03 ponto. Também foram registradas quedas tanto do gás de botijão (-1,09%) como do gás encanado (-0,36%). E a taxa de água e esgoto subiu 0,04%.

A segunda maior variação positiva do mês foi de Artigos de Residência: 0,45%. Equipamentos de TV, som e informática subiram 2,81%, em média, enquanto os eletrodomésticos aumentaram 0,89%. Itens de mobiliário recuaram 1,82%.

Houve deflação nas 11 áreas pesquisadas. Variou de -0,23%, na região metropolitana de Fortaleza, a -1,12%, em Curitiba. Na Grande São Paulo, o IPCA-15 foi de -0,52%. Em 12 meses, o índice vai de 0,93% (município de Goiânia) a 3% (Fortaleza).

O IPCA e o INPC deste mês serão divulgados em 10 de junho.


Leia também


Últimas notícias