Inflação

Preços dos alimentos consumidos em casa caem, mas comer fora fica mais caro

Resultado do IPCA-15 em setembro (0,09%) quase não variou em relação ao mês anterior. "Prévia" da inflação oficial soma 3,22% em 12 meses

Reprodução
Produtos que são consumidos em casa caíram de preço em setembro, mas comer na rua ficou mais caro, segundo o IBGE
São Paulo – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15)variou 0,09% neste mês, quase a mesma taxa de agosto (0,08%) e igual à de setembro do ano passado, segundo o IBGE, que divulgou os resultados na manhã desta terça-feira (24). Com isso, o índice, considerado “prévia” da inflação oficial, o IPCA, soma 2,60% no ano e 3,22% em 12 meses.
O grupo de maior peso entre os que compõem o indicador, Alimentação e Bebidas, caiu ainda mais em setembro: -0,34%. E contribuiu com -0,08 ponto percentual para o resultado do mês. A maior alta foi de Habitação (0,76%, com 0,12 ponto para cima).
De acordo com o instituto, a segunda deflação seguida na área de alimentação se explica pelos produtos consumidos em domicílio (-0,81%). Um destaque de queda foi o tomate (-24,83%), o principal impacto individual do mês, com -0,07 ponto. Também caíram os preços da cenoura (-16,11%), hortaliças e verduras (-6,66%), frutas (-0,93%) e carnes (-0,38%), entre outros itens.
Comer fora de casa, por outro lado, ficou 0,33% mais caro, em média. O preço do lanche aumentou 0,86% e o da refeição, 0,31%.
Ainda entre os grupos, Artigos de Residência teve a maior queda mensal, de 0,40%, após subir 0,82% em agosto. O IBGE cita a retração nos preços médios dos eletrodomésticos (-1,22%).
Comportamento inverso teve o grupo Transportes, que passou de -0,78%, no mês anterior, para 0,09% em setembro, com influência dos combustíveis, que subiram 0,35%. O etanol teve aumento de 2,15%, o gás veicular registrou alta de 0,96% e o diesel, de 0,58%, enquanto a gasolina caiu 0,06%, menos que em agosto (-1,88%).
No mesmo grupo, o custo do ônibus intermunicipal subiu 0,37%. Já as passagens aéreas voltaram a cair (-1,53%, também com menor intensidade que um mês antes, -15,57%).
Entre as regiões, o menor resultado foi apurado na região metropolitana do Rio de Janeiro (-0,10%). E o maior índice foi o de Goiânia (0,54%). Na Grande São Paulo, o IPCA-15 foi de 0,19%, somando 3,44% em 12 meses.
O IPCA e o INPC deste mês serão divulgados em 9 de outubro.