Home Economia Contas de luz puxam para cima inflação oficial em julho. Preços de combustíveis caem
Oscilação

Contas de luz puxam para cima inflação oficial em julho. Preços de combustíveis caem

Taxa oficial foi bem maior que a do mês anterior, mas a mais baixa para julho desde 2014. Em 12 meses, variação é de 3,22%
Publicado por Vitor Nuzzi, da RBA
09:33
Compartilhar:   
Agência Brasil

Combustíveis fizeram o grupo Transportes fechar julho com variação de -0,17%

São Paulo – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), taxa oficial da inflação no país, variou 0,19% em julho, bem acima do mês anterior (0,01%) e abaixo de igual período do ano passado (0,33%). Segundo o IBGE, que divulgou os resultados na manhã desta quinta-feira (8), foi a taxa mais baixa para julho desde 2014. O IPCA está acumulado em 2,42% no ano e em 3,22% em 12 meses.

O que pesou mais no bolso no mês passado foi o item energia elétrica: as contas de luz ficaram 4,48% mais caras, em média – variando de -0,40% (Rio Branco) a 7,59% (região metropolitana de São Paulo). Apenas a energia representou impacto de 0,17 ponto percentual na taxa geral, praticamente todo o resultado do mês. Com isso, o grupo Habitação subiu 1,20%, com impacto de 0,19 ponto. Outro destaque foi a taxa de água e esgoto (0,73%), com reajustes em algumas regiões.

O grupo Alimentação e Bebidas, que responde por 25% das despesas das famílias, ficou estável, com variação de 0,01%. Subiram preços como os da cebola (20,70%), frutas (2,51%) e carnes (1,10%) – cada um representando 0,03 ponto –, enquanto caíram os do tomate (-11,28%, -0,04 ponto), feijão carioca (-8,86%), hortaliças (-4,98%) e batata inglesa (-3,68%).

Com queda de 2,79%, em média, os combustíveis fizeram o grupo Transportes fechar julho com variação de -0,17%. O preço da gasolina caiu 2,80% (-0,12 ponto, maior impacto individual negativo do mês), indo de -6,89% (região metropolitana de Salvador) a 1,11% (Grande Porto Alegre). Também caíram os preços do etanol (-3,13%), óleo diesel (-1,76%) e gás natural (-1,47%). Entre as altas, a passagem aérea subiu 18,63% (impacto de 0,08 ponto) e o ônibus interestadual subiu 5,21%.

A maior queda entre os grupo foi de Vestuário: -0,52%. As roupas femininas recuaram 1,39%.

Entre as regiões pesquisadas, a maior variação foi apurada em Porto Alegre (0,54%), com aumento nas frutas e na energia elétrica. O menor índice foi o de Goiânia (-0,22%), com quedas no preço do tomate e da gasolina. O IPCA variou 0,30% no Rio de Janeiro e 0,28% em São Paulo.

Em 12 meses, o índice vai de 2,39% (Curitiba) a 4,27% (Aracaju).

INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) ficou em 0,10%, acima de junho (também 0,01%), mas o menor para o mês desde 2013. A taxa soma 2,55% no ano e 3,16% em 12 meses.

Segundo o IBGE, os produtos alimentícios voltaram a cair (-0,05%), enquanto os não alimentícios subiram novamente (0,09%).

registrado em: , , , ,