Home Economia Aumento na conta de luz pressiona inflação na cidade de São Paulo em julho
Salgada

Aumento na conta de luz pressiona inflação na cidade de São Paulo em julho

Índice pesou mais para famílias de menor renda. Em 12 meses, ICV-Dieese varia 2,99%
Publicado por Vitor Nuzzi, da RBA
16:42
Compartilhar:   
Reprodução

Entre os itens com alta no mês passado, a tarifa de eletricidade foi a que mais pressionou a inflação na capital paulista

São Paulo – Com pressão das altas na conta de luz, o Índice do Custo de Vida (ICV), calculado pelo Dieese no município de São Paulo, variou 0,17% em julho, segundo pesquisa divulgada hoje (7). O indicador tem alta de 1,80% no ano e de 2,99% no acumulado em 12 meses.

De acordo com o instituto, a inflação subiu mais para famílias de menor renda, concentradas no estrato 1: 0,24%. O estrato 2, intermediário, e o 3, ficaram próximos, com variações de 0,17% e 0,16%, respectivamente. Em 12 meses, isso se repete: 3,41% no estrato 1, 3,19% no 2 e 2,75% no terceiro.

Entre os grupos, o de maior alta foi Habitação (1,17%), que tem mais de 22% de participação no ICV. O resultado se deve, principalmente, ao reajuste da tarifa de eletricidade, com aumento de 7,23%.

Já o grupo de maior peso, Alimentação (quase 31%) caiu 0,22% em julho. Entre os diversos itens, o Dieese apurou quedas no leite in natura (-0,02%), aves e ovos (-0,24%), legumes (-2,93%, por causa do tomate), grãos (-4,04%) e hortaliças (-4,38%). Tiveram alta raízes e tubérculos (4,27%) e frutas (0,91%). Comer fora ficou 0,23% mais barato, em média, enquanto produtos industriais variaram -0,28%.

De janeiro a julho, quatro dos 10 grupos têm taxas acima da média (1,80%). Alimentação, por exemplo, subiu 2,35% no ano, com destaque para raízes e tubérculos (48,81%), hortaliças (11,67%), legumes (6,44%) e grãos (5,56%). Em 12 meses, são três grupos acima do índice geral (2,99%), caso, mais uma vez de Alimentação (4,80%).