Consumo

Depois de patinar nos meses anteriores, comércio tem queda nas vendas em abril

Setor que inclui hipermercados e supermercados foi um dos destaques negativos do mês, o pior abril desde 2015. Na comparação com 2018, atividade registra alta

Reprodução
Compras nos supermercados foram menores em abril, de acordo com o IBGE

São Paulo – Com queda em cinco das oito atividades pesquisadas, o comércio registrou queda de 0,6% no volume de vendas entre março e abril, informou hoje (12) o IBGE. Nos dois meses anteriores, a atividade patinou, com -0,1% em fevereiro e 0,1% em março. Na comparação com abril do ano passado, houve crescimento de 1,7%, somando 1,4% em 12 meses.

De acordo com o instituto, um dos destaques negativos ficou com o segmento que inclui hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo: recuo de 1,8% no mês. A atividade de tecidos, vestuário e calçados caiu 5,5%. Já a de móveis e eletrodomésticos cresceu 1,7%.

Em relação a abril de 2018, hipermercados e supermercados têm alta de 1,6%. Já o segmento de combustíveis e lubrificantes cai 3,6% e o de tecidos, vestuário e calçados recua 3,2%.

O chamado comércio varejista ampliado ficou estável no mês. Esse indicador inclui veículos, motos, partes e peças, que variou 0,2%, e material de construção, com crescimento de 1,4%. Em 12 meses, o IBGE apura avanço de 3,1%.

O instituto ressalta também o desempenho do segmento setor “outros artigos de uso pessoal e doméstico”, que inclui lojas de departamentos, óticas, joalherias, artigos esportivos e brinquedos, com expansão de 13,4% nas vendas em relação a abril de 2018. 0″Neste mês, além do dinamismo vindo do e-commerce, o segmento foi particularmente pressionado pelo deslocamento do feriado móvel de Páscoa, com impactos positivos particularmente nas vendas desse setor.”