Incerteza

Mais uma vez, Copom mantém taxa básica de juros

Selic está em 6,50% ao ano desde março de 2018

Wilson Dias/Agência Brasil
juros

Reunião do Comitê do Banco Central terminou novamente dentro do previsto. Empresários e trabalhadores esperam redução

São Paulo – Mais uma vez, a nona seguida, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central manteve em 6,50% ao ano a taxa básica de juros, a Selic. Na reunião iniciada ontem e encerrada na noite desta quarta-feira (8), a decisão foi unânime. Os juros estão nesse nível desde março do ano passado.

“Indicadores recentes da atividade econômica sugerem que o arrefecimento observado no final de 2018 teve continuidade no início de 2019”, afirma o Copom, em nota. De acordo com o comunicado, o cenário básico para inflação mantém “fatores de risco”, com nível de ociosidade elevado e uma possível frustração a respeito de “reformas e ajustes”.

Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), fatores como a alta do dólar, incertezas em torno da “reforma” da Previdência e inflação acima do centro da meta (4,25%) foram decisivos para a decisão anunciada hoje. Mas o presidente em exercício da entidade, Paulo Afonso Ferreira, afirma que os sinais de desaquecimento econômico e o alto desemprego indicam necessidade de redução da taxa básica. 

A Força Sindical divulgou nota em que critica o “excesso de conservadorismo” do colegiado. “É preciso, nas próximas reuniões do Copom, adotar uma política contundente de redução da taxa Selic. O país precisa urgentemente retomar o caminho de seu crescimento econômico, com geração de empregos e distribuição de renda”, afirma o presidente da central, Miguel Torres.