Inflação

Preços de gasolina e energia caem, gás e alimentos sobem

IPCA-15, 'prévia' da taxa oficial, variou -0,16% em dezembro e fechou o ano somando 3,86%

MARCELO CAMARGO/EBC
inflação

Com queda de 5,47% no preço médio, gasolina puxou para baixo inflação no último mês do ano. Etanol também caiu

São Paulo – Com altas em itens importantes, como alimentos e gás, e redução em produtos como gasolina e energia, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) variou -0,16% em dezembro, menor taxa para o mês desde o Plano Real, em 1994, segundo o IBGE. A taxa acumulada no ano para a “prévia” da inflação oficial foi de 3,86%, ante 4,39% no 12 meses imediatamente anteriores.

Entre os nove grupos pesquisados, a maior queda foi em Transportes: -0,93%, o que representou impacto de -0,18 ponto percentual no resultado do mês. O preço da gasolina caiu 5,47%, com impacto de -0,26 ponto na taxa geral e redução em todas as áreas.

Também diminuíram de preços o etanol (-3%) e o óleo diesel (-1,93%). Já as passagens aéreas tiveram alta de 29,61%, no maior impacto individual para cima (0,11 ponto).

No grupo de maior peso na composição do índice, Alimentação e Bebidas, o instituto apurou variação de 0,35%, menos que em novembro (0,54%). Isso aconteceu, principalmente, porque o item alimentação no domicílio foi de 0,85% para 0,22%. Caíram de preço produtos como leite longa vida (de -3,74% para -10,39%),arroz (-0,84%), farinha de mandioca (-2,47%) e alho (-3,38%). Por outro lado, aumentaram os preços de cebola (34,16%), batata inglesa (17,80%), tomate(8,37%) e carnes (0,92%).

Comer fora ficou mais caro em dezembro, com alta de 0,58% (-0,01% no mês anterior). Refeição e lanche, que haviam caído, desta vez tiveram altas de 0,67% e 0,57%, respectivamente. 

Habitação variou -0,52% neste mês, com a influência da energia elétrica, que caiu 3,61% e teve impacto de -0,14 ponto na taxa geral. Mas subiram os preços do gás de botijão (1,62%), do gás encanado (1,49%) e da taxa de água e esgoto (0,24%). 

Entre as regiões, só não houve deflação em Belém (0,27%). O menor índice foi apurado em Brasília (-0,30%). Na região metropolitana de São Paulo, o IPCA-15 variou -0,21% e no Rio de Janeiro, -0,11%.

O IPCA e o INPC de dezembro e do ano de 2018 serão divulgados pelo IBGE em 11 de janeiro.