Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2018 / 06 / FUP: política da Petrobras pode causar falta de gás de cozinha no Brasil

Desmonte

FUP: política da Petrobras pode causar falta de gás de cozinha no Brasil

Com as refinarias operando com menos da metade da capacidade, GLP já está em falta em alguns estados do Nordeste
por Redação RBA publicado 25/06/2018 18h18, última modificação 25/06/2018 18h28
Com as refinarias operando com menos da metade da capacidade, GLP já está em falta em alguns estados do Nordeste
Gás de cozinha

Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba e Santa Catarina já enfrentam situação de desabastecimento

São Paulo – Vai faltar gás de cozinha no Brasil, alerta a Federação Única dos Petroleiros (FUP), apontando a atual política da Petrobras, que tem reduzido o processamento das refinarias e priorizado a compra no mercado estrangeiro de produtos que o país tem tecnologia e capacidade para produzir.

Inserido no programa de desinvestimento e privatização da Petrobras, a redução das cargas nas refinarias influencia diretamente o abastecimento do GLP (gás liquefeito de petróleo), o famoso gás de cozinha. A região Nordeste é a que mais tem sentido os efeitos dessa política do governo de Michel Temer, conforme revelou recentemente o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Segundo o órgão, embora a demanda do GLP na região tenha aumentado, a produção nas refinarias vem diminuindo.

“Portanto, pode-se supor que, mantendo a curva de produção com uma trajetória declinante, a diferença entre a demanda e a produção de GLP nessas regiões deve aumentar no próximo trimestre. Ou seja, a atual situação de desabastecimento observada em estados como Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba e Santa Catarina tende a se agravar no curto prazo, caso a Petrobras não retome a sua produção nessas localidades”, diz o Inep.

Ao contrário da atual política da Petrobras, em 2014, no governo da ex-presidenta Dilma Rousseff, a produção das refinarias brasileiras bateu recorde, chegando a refinar uma carga de 2,1 milhões de barris de petróleo por dia, o que também aumentou o processamento do GLP.

Greve

De acordo com o coordenador geral da FUP, Simão Zanardi, os petroleiros estão organizando uma greve nacional para “abastecer o país”. A intenção é fazer com que as refinarias, que estão operando com menos da metade da capacidade, voltem a operar com carga máxima.

“Nossa greve não é para desabastecer o país, como está fazendo o governo Temer com essa política de desmonte que reduziu a carga das refinarias e elevou os preços dos combustíveis e do gás de cozinha, obrigando milhões de brasileiros a voltarem a cozinhar com lenha e carvão. Nossa greve é para que as refinarias voltem a operar com carga máxima e a Petrobras possa voltar a cumprir a sua missão, que é abastecer o povo brasileiro, de norte a sul do país”, afirma a FUP.

Com informações da FUP