Consumo

‘Prévia’ do IPCA tem deflação, com queda nos preços de alimentos

Taxa no período de 12 meses vai a 2,78%. Em 2017, o índice soma 1,44%

Marcos Santos/USP Imagens
Deflação IPCA

Grupo Alimentação e Bebidas registrou queda de 0,55%

São Paulo – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) variou -0,18% neste mês, menor taxa para julho ao lado de 2003 e o menor desde setembro de 1998. No ano, segundo o IBGE, que divulgou os resultados nesta quinta-feira (20), o índice soma 1,44%, ante 5,19% em igual período de 2016. Em 12 meses, vai a 2,78%, menor taxa acumulada desde março de 1999.

Quedas expressivas foram registradas nos grupos Alimentação e Bebidas (-0,55%) e Transportes (-0,64%), que respondem por quase metade das despesas das famílias. No primeiro caso, o impacto foi de -0,14 ponto percentual e no segundo, de -0,11 ponto. 

“A queda nos alimentos foi ainda mais forte quando considerados os produtos comprados para consumo em casa, que chegaram a ficar 0,95% mais baratos. Todas as regiões pesquisadas apresentaram queda, com variação de -0,37% em Brasília até -1,61% em Curitiba”, diz o IBGE. Entre os produtos que caíram de preço, estão batata inglesa (-19,07%), tomate (-8,48%) e frutas (-4%).

Em relação aos transportes, a influência veio da queda dos combustíveis (-3,16%), sendo -4,81% no etanol e -2,98% na gasolina. Já as passagens aéreas subiram 5,77%.

Entre as regiões metropolitanas, Curitiba teve variação de 0,01%, devido a reajuste nas tarifas de energia elétrica. Em São Paulo, o índice foi de -0,29%, com queda nos preços dos combustíveis.

O IPCA e o INPC de julho serão divulgados em 9 de agosto.

Leia mais:

Dieese: não há o que comemorar quando a deflação vem da depressão