Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2017 / 02 / Renda domiciliar tem diferença de até 76% entre unidades da federação

Desigualdade

Renda domiciliar tem diferença de até 76% entre unidades da federação

Em 2016, menor rendimento foi apurado no Maranhão (R$ 575) e o maior, no Distrito Federal (R$ 2.351)
por Redação RBA publicado 24/02/2017 14h19
Em 2016, menor rendimento foi apurado no Maranhão (R$ 575) e o maior, no Distrito Federal (R$ 2.351)

São Paulo – A renda nominal domiciliar per capita, divulgada hoje (24) pelo IBGE, revela diferença de até 76% entre as unidades da federação. Em 2016, esse rendimento variou de R$ 575, no Maranhão, a R$ 2.351, no Distrito Federal. A média brasileira no ano passado foi de R$ 1.226, ante R$ 1.113 em 2015.

Segundo o instituto, para o cálculo são considerados os rendimentos brutos do trabalho e os demais rendimentos de outras fontes. Para obter o rendimento per capita, os valores são divididos pelo total de moradores. A divulgação desse dado atende a disposto na Lei Complementar 143, de 2013, que estabelece critérios de rateio do Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal (FPE).

Depois do Distrito Federal, seguem os rendimentos de São Paulo (R$ 1.723), Rio Grande do Sul (R$ 1.554) e Santa Catarina (R$ 1.458). Na outra ponta, após o Maranhão, ficam Alagoas (R$ 662), Pará (R$ 708) e Amazonas (R$ 739).