Inflação

Preços ao consumidor sobem menos, e IGP-M perde força em 12 meses

FGV destaca menor taxa no grupo Alimentação em setembro

Marcelo Camargo/Agência Brasil
compras.jpg

Alimentação teve decréscimo de 0,66% para 0,09%; item laticínios passou de 6,46% para -1,39%

São Paulo – O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), passou de 0,15%, em agosto, para 0,20% neste mês, bem abaixo de setembro do ano passado (0,95%). Com o resultado, divulgado hoje (29), a taxa foi a 6,46% em 2016 e a 10,66% em 12 meses, terceira redução seguida nessa base de comparação.

Os componentes do IGP-M mostraram comportamento diferente. No caso dos preços ao consumidor, medidos pelo IPC, o índice foi de 0,40% para 0,16%. Segundo a FGV, seis dos oito grupos tiveram decréscimo na variação, com destaque para Alimentação (de 0,66% para 0,09%) – o item laticínios passou de 6,46% para -1,39%.

Ainda no IPC, que representa 30% da taxa total, tiveram redução os grupos Transportes (de 0,27% para -0,12%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,76% para 0,40%), Educação, Leitura e Recreação (de 0,83% para 0,56%), Comunicação (de 0,39% para 0,02%) e Despesas Diversas (de 0,10% para -0,27%). A fundação destaca itens como gasolina (de 0,16% para -1,13%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de 1,98% para -0,14%) e tarifa de telefone móvel (de 1,46% para -0,01%), entre outros.

Os grupos com alta foram Habitação (de 0,01% para 0,24%) e Vestuário (de 0,07% para 0,20%). Tiveram elevação os itens tarifa de eletricidade residencial (de -1,50% para -0,07%) e roupas femininas (de -0,50% para 0,44%).

O IPC soma 5,58% no ano e 8,20% em 12 meses.

O IPA (preços ao produtor amplo), responsável por 60% da taxa geral, variou de 0,04% para 0,18%. Acumula variação de 6,91% no ano e 12,28% em 12 meses.

Já o INCC (custo da construção) foi de 0,26%, em agosto, para 0,37%. No ano, vai a 5,60%, e em 12 meses, a 6,44%.