Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2016 / 04 / Preço da cesta básica aumenta em 16 capitais e cai em 11

Em março

Preço da cesta básica aumenta em 16 capitais e cai em 11

Dieese calculou em R$ 3.373,26 o salário mínimo necessário para as despesas básicas de um trabalhador e sua família
por Redação RBA publicado 11/04/2016 15h09
Dieese calculou em R$ 3.373,26 o salário mínimo necessário para as despesas básicas de um trabalhador e sua família
memória/ebc
cesta básica.jpg

O maior custo da cesta básica, no mês passado, foi o de Brasília: R$ 444,74

São Paulo – O Dieese apurou comportamento diferenciado dos preços da cesta básica em março, com aumento em 16 capitais e queda em 11, segundo pesquisa divulgada hoje (11). As principais altas foram registradas em Vitória (4,19%), Palmas (3,41%) e Salvador, enquanto as maiores retrações ocorreram em Manaus (-12,87%) e Boa Vista (-7,05%).

O maior custo da cesta básica, no mês passado, foi o de Brasília: R$ 444,74. Em seguida, com pouca diferença, vieram São Paulo (R$ 444,11) e Florianópolis (441,06%). Os menores valores foram apurados em Natal  (R$ 325,98), Maceió (R$ 342,55) e Rio Branco (R$ 342,66).

Com base no maior valor, o Dieese calculou em R$ 3.373,26 o salário mínimo necessário para as despesas básicas de um trabalhador e sua família, ou 4,25 vezes mais o mínimo oficial, de R$ 880. A proporção subiu ligeiramente ante fevereiro (4,23).

No primeiro trimestre, o valor só não cai em Porto Alegre (-0,82%). Os principais aumentos no ano são de Belém (17,60%), Aracaju (R$ 14,25), Goiânia (12,77%) e Fortaleza (12,72%), e as menores variações, de Campo Grande (1,43%), Porto Velho (1,96%), Curitiba (2,30%) e Boa Vista (3,15%).

"Em março, houve predominância de alta nos produtos da cesta nas capitais do Brasil, com destaque para o feijão, manteiga, leite, café em pó, açúcar e batata, pesquisada nas regiões Centro-Sul. O tomate mostrou diminuição de valor na maior parte das cidades", informou o Dieese.