inovar-auto

Sindicatos pedem isenção de impostos e juros baixos para renovação da frota de caminhões

Empresários e sindicatos reuniram-se com representantes federais na última terça-feira (13) para discutir ajustes no Inovar Auto. Grupo espera que o governo aprove o programa ainda neste mês

Wikimedia Commons/CC
caminhões

Projeto retirará das rodovias cerca de 300 mil caminhões velhos que serão substituídos por frota de novos veículos

 

São Paulo – O grupo de trabalho do Inovar Auto, iniciativa federal que discute a renovação da frota de caminhões no país, reuniu-se na terça-feira (13). No encontro, representantes de sindicatos de trabalhadores e de empresas apresentaram propostas ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, ao BNDES e ao Ministério da Fazenda para que o programa entre em vigor o quanto antes com isenção de impostos, taxas de juros mais baixas nos financiamentos e acesso facilitado ao crédito para a compra de veículos de carga.

O projeto pretende retirar das rodovias, na próxima década, cerca de 300 mil caminhões que serão substituídos por uma frota de novos veículos. Além da importância ambiental da medida, que reduzirá a emissão de gases poluentes pelo transporte de carga, o diretor de comunicação do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Valter Sanches, destaca que o Inovar Auto garantirá emprego para milhares de trabalhadores e melhorará a qualidade do sistema de logística e transporte no Brasil.

“O setor de caminhões está passando por uma situação de crise, muitas fábricas estão dando férias coletivas e abrindo falência. Esta é uma ameaça séria aos trabalhadores e o programa pode trazer uma demanda adicional para estabilizar o emprego no Brasil na área de transporte de carga”, explica Sanches.

Para o presidente da Federação das Empresas de Transporte de Carga de São Paulo, Flávio Benatti, o governo federal deu sinais de que vai atender à solicitação de empresários e sindicatos. “Nós sentimos que as propostas que o grupo de coalizão está apresentando realmente estão sendo vistas pelo governo como solução para a renovação de frota. Saímos daqui esperançosos porque haverá uma reunião nos próximos dias, em que o governo dará uma resposta definitiva.”

Confira a reportagem completa da TVT.