Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2013 / 05 / Emprego formal tem abril mais fraco desde 2009, mas melhor resultado do ano

Mercado de trabalho

Emprego formal tem abril mais fraco desde 2009, mas melhor resultado do ano

País criou 549 mil vagas no ano, 1,087 milhão em 12 meses e 4,139 milhões desde janeiro de 2011
por Vitor Nuzzi, da RBA publicado 21/05/2013 15h54, última modificação 27/05/2013 20h00
País criou 549 mil vagas no ano, 1,087 milhão em 12 meses e 4,139 milhões desde janeiro de 2011
Ministério da Agricultura
pecuaria_minagricultura.jpg

O crescimento de 1,59% na agropecuária foi o mais expressivo, o que resultou na criação de 24.807 empregos

São Paulo – O país criou 196.913 vagas com carteira assinada em abril, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado na tarde de hoje (21) pelo Ministério do Trabalho e Emprego. É o menor resultado para o mês desde 2009, mas o melhor do ano. De janeiro a abril, o saldo é de 549.064 postos de trabalho formais, ante 702.059 e igual período de 2012. O total chega a 1.087.066 em 12 meses (expansão de 2,79% sobre o estoque).

Conforme adiantou ontem a presidenta Dilma Rousseff, desde o início do atual governo, em janeiro de 2011, o mercado formal criou 4.139.853 empregos. O número supera igual período do governo Lula, que teve aproximadamente 2,8 milhões de vagas abertas de janeiro de 2003 a abril de 2005. No entanto, o primeiro ano do ex-presidente foi marcado por uma série de ajustes na economia, que afetaram o mercado. Quando assumiu, em 2003, o governo referia-se ao balanço da administração anterior como "herança maldita".

Todos os setores pesquisados tiveram aumento no mês passado. O setor de serviços abriu 75.220 empregos, o que representou alta de 0,46%. O maior crescimento percentual (1,59%) foi registrado na agropecuária, que criou 24.807 empregos com carteira. Em seguida, veio a construção civil, com expansão de 1,03%, o equivalente a 32.921 vagas. A indústria de transformação teve expansão de 0,49%, com 40.603 postos de trabalho a mais. O comércio abriu 16.631 (0,19%) e a administração pública, 3.857 (0,43%).

No ano, só o comércio fechou vagas: 41.811 a menos de janeiro a abril (-0,47%). Os serviços criaram 265.278 empregos formais (1,64%), seguido da indústria, com 153.975 (1,88%), e da construção, com 121.013 (3,89%). A administração pública criou 25.157 (2,88%) e a agropecuária, 15.889 (1,01%).