Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2013 / 05 / Brasileiro diretor da OMC diz que retirada do protecionismo deve ser lenta

Brasileiro diretor da OMC diz que retirada do protecionismo deve ser lenta

Economia
por Redação publicado 17/05/2013 19h01, última modificação 18/05/2013 13h44
Economia
Fernando Bizerra Jr./EFE
azevedo

Azevêdo: 20% das medidas restritivas ao comércio adotadas no mundo depois do inicio da crise em 2008 desapareceram

Brasília – O novo diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), o brasileiro Roberto Azevêdo, afirmou hoje (17), em Brasília, que cerca de 20% das medidas restritivas ao comércio adotadas no mundo após o início da crise de 2008 desapareceram.

Em sua primeira entrevista coletiva no Brasil desde que foi eleito para o cargo, Azevêdo declarou que 20% das medidas já foram retiradas, mas que 80% permanecem, e é necessário "trabalhar" para que sejam definitivamente eliminadas ou pelo menos reduzidas.

Embora tenha dito estar convencido de que o "fervor protecionista" que se instalou no mundo com a explosão da crise global em 2008 está começando a retroceder, Azevêdo também afirmou que o processo rumo a um cenário com menos barreiras será "lento e gradual, nunca abrupto".

Para o novo diretor-geral da OMC, o empurrão definitivo para dar maior velocidade à eliminação dessas barreiras poderá ser dado com uma eventual retomada da Rodada de Doha, estagnada desde que começaram as turbulências financeiras.

A retomada dessas negociações é a principal meta traçada para o cargo que o brasileiro vai assumir no dia 1º de setembro, sucedendo o francês Pascal Lamy.

"A retomada da Rodada de Doha será, sem dúvida, o maior desafio da OMC no curto prazo" e disso dependerá que esse órgão recupere sua "relevância" como fórum multilateral, disse Azevêdo.

Segundo o diplomata brasileiro, "a OMC só voltará a ser mais relevante se houver a sensação de que se voltou a negociar e que é um fórum viável" para encontrar soluções que permitam uma melhora do comércio internacional

registrado em: ,