Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2012 / 12 / Seade vê 'relativa desconcentração econômica' no estado de São Paulo

Seade vê 'relativa desconcentração econômica' no estado de São Paulo

Dados do PIB municipal mostram perda de participação da capital e de outros parques industriais
por Vitor Nuzzi, da RBA publicado 13/12/2012 13h03, última modificação 13/12/2012 13h13
Dados do PIB municipal mostram perda de participação da capital e de outros parques industriais

São Paulo – O município de São Paulo continua concentrando mais de um terço da riqueza do estado, embora em proporção menor à do início da década. Segundo a Fundação Seade, ligada à Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional, a participação da capital foi de 35,6% em 2010, ante os 37,8% de dez anos antes. Em seguida, vêm Guarulhos, na Grande São Paulo, com 3%, e Campinas, a 100 quilômetros da capital, com 2,9%. Segundo o Seade, os dados apontam “relativa desconcentração econômica”, em consequência de um processo de descentralização da produção industrial.

“Alguns municípios com importantes parques industriais perderam espaço no PIB paulista, tais como São José dos Campos, Santo André, Sorocaba, Paulínia, Mauá e Cubatão”, informa o Seade. No caso de São José, no Vale do Paraíba, a participação caiu de 3,2%, em 2000, para 1,9% em 2010. Com isso, a cidade caiu da segunda para a oitava posição. Santo André, no ABC paulista, foi de 1,8% para 1,4% e recuou da oitava para a décima colocação.

Osasco assumiu a quarta posição. Segundo a fundação, a cidade “já concentrava parte importante das atividades de intermediação financeira” e registrou crescimento “das atividades associadas aos serviços de transporte e logística”. São Bernardo, também no ABC, manteve o quinto lugar.

As quatro regiões metropolitanas do estado concentravam 73,5% da produto industrial em 2000 e passaram para 67,2%. O destaque foi a redução da região metropolitana de São Paulo, de 52,4% para 46,8%.