Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2012 / 12 / Emprego na indústria sobe em outubro após duas quedas seguidas

Emprego na indústria sobe em outubro após duas quedas seguidas

por Camila Moreira, da Reuters publicado 11/12/2012 11h46, última modificação 11/12/2012 11h54

São Paulo – O emprego na indústria brasileira voltou a subir em outubro ao registrar alta de 0,4% sobre setembro após duas quedas mensais seguidas, informou hoje (11) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com igual mês de 2011, o total de pessoal ocupado na indústria recuou 1,2% em outubro, no 13º terceiro resultado negativo consecutivo nesse tipo de confronto, porém o menos intenso desde fevereiro (-0,8%). Em setembro o emprego industrial havia registrado recuo de 0,3%, e em agosto houve queda de 0,1%.

Em outubro, o contingente de trabalhadores sofreu redução em dez das 14 áreas pesquisadas na comparação com o mesmo mês do ano passado. O principal impacto negativo veio da região Nordeste, com queda de 3,8%, pressionado por taxas negativas em 11 dos 18 setores, com destaque para a redução no total do pessoal ocupado nas indústrias de refino de petróleo e produção de álcool (-22,6%).

O índice acumulado nos dez primeiros meses de 2012 recuou 1,4% na comparação com igual período do ano anterior. No acumulado dos últimos 12 meses o emprego na indústria em geral registrou perda de 1,2% em outubro passado. O avanço do emprego na indústria em outubro fica em linha com o crescimento de 0,9% da produção industrial naquele mês, ainda que permaneçam sinais de que os investimentos não estão se recuperando.

Embora a indústria tenha registrado alta de 1,1% no terceiro trimestre, beneficiada por medidas de estímulo do governo, ainda há dúvidas sobre se a recuperação do setor está em curso. Desde o início do ano a indústria apresenta-se como uma das principais causas para a fraqueza da expansão econômica nacional, em meio à crise internacional.

Horas pagas

O IBGE informou ainda que o número de horas pagas subiu 1,1% em outubro em relação a setembro, após queda de 0,7% registrada em setembro. Na comparação com outubro de 2011, o número de horas pagas recuou 1,1%, o 14º resultado negativo seguido nessa comparação, mas o menos intenso desde fevereiro (-0,8%).

Por sua vez, no acumulado dos últimos 12 meses, o número de horas pagas mostrou queda de 2% em outubro, repetindo a leitura de setembro e permanecendo com a trajetória descendente iniciada em fevereiro de 2011.

Já o valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria em outubro subiu 0,1% em relação ao mês anterior, após recuar 2,1% em setembro. Na comparação com outubro de 2011, o valor da folha de pagamento real subiu 3% em outubro, 34º resultado positivo consecutivo.

registrado em: , ,