Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2012 / 12 / Em Caxias do Sul, Dilma diz que medidas para crescimento 'vão amadurecer em 2013'

Em Caxias do Sul, Dilma diz que medidas para crescimento 'vão amadurecer em 2013'

por Karine Mello, da Agência Brasil publicado 22/12/2012 13h34, última modificação 22/12/2012 13h56

Presidenta inaugurou na manhã deste sábado a barragem do Sistema Marrecas, que faz parte do PAC (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff inaugurou hoje (22), em Caxias do Sul (RS), a barragem do Sistema Marrecas, que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). No evento, Dilma ressaltou as medidas que o governo tem tomado para desenvolver o país e que, segundo ela, "vão amadurecer em 2013".

Na lista, estão as ações para a erradicação da pobreza extrema e para redução de juros e impostos. "Este é um país que precisa de todas as coisas que um país de economia avançada precisa simultaneamente de desenvolver a competitividade da sua indústria, do seu setor de serviços, da sua agricultura. E isso significa que nós, junto com a redução dos juros, junto com uma taxa de câmbio mais real, junto com a redução dos impostos, que nós iremos continuar a perseguir em 2013, nós começamos a superar alguns gargalos fundamentais para que o Brasil pudesse crescer de forma sustentável."

A presidenta também falou dos investimentos que vão ser feitos na aviação regional brasileira. Outra preocupação do governo são os investimentos em educação. "Nosso país tem de dobrar a renda per capita num prazo mais curto possível e, para isso, precisa ter educação", disse.

A barragem do Sistema Marrecas vai ofertar mais de 1 mil litros de água por segundo e aliviar os sistemas de abastecimento já implementados na região. Nos próximos 30 anos, a estimativa é que 250 mil pessoas sejam beneficiadas. A obra conta com a construção da barragem, de estação de bombeamento de água bruta, 7,2 quilômetros de adutora de água bruta, estação de tratamento de água, 19 quilômetros de adutora de água tratada e centro de reservação.

A prefeitura e o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) investiram no sistema cerca de R$ 250 milhões, incluindo R$ 150 milhões de financiamentos do governo federal, via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Caixa Econômica Federal. O restante da verba veio de recursos próprios do município. Segundo o prefeito de Caxias do Sul, José Ivo Sartori, a expectativa é que até maio o município tenha 86% de água e esgoto tratados.

A presidenta Dilma destacou o fato de Caxias estar numa região bastante industrializada e lembrou que esta semana o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou a segunda menor taxa de desemprego dos últimos dez anos: 4,9%.

 

 

registrado em: , , , ,