Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2012 / 11 / Gol anuncia fim da Webjet e corte de 850 empregos

Gol anuncia fim da Webjet e corte de 850 empregos

por Roberta Vilas Boas e Diogo Ferreira Gomes, da Reuters publicado 23/11/2012 14h14, última modificação 23/11/2012 14h52

Gol irá absorver 450 funcionários da WebJet que atuam principalmente nos aeroportos (Foto:Nacho Doce/Reuters)

São Paulo – A companhia aérea Gol encerrará as atividades da controlada WebJet, decisão que resultará na demissão de cerca de 850 empregados e em um aumento pontual de custos no quarto trimestre. A decisão foi motivada pelo fato de a frota da WebJet, composta por aviões Boeing 737-300 de idade média elevada, ter um alto consumo de combustível, cujos preços mais elevados têm prejudicado os resultados da Gol.

Segundo o diretor-presidente da Gol, Paulo Kakinoff, com o recente aumento nos preços, o combustível passou a representar 46% dos custos totais da Gol.

Quanto à frota de 20 aeronaves Boeing 737-300s da WebJet, a Gol prevê devolvê-la toda até a metade do ano que vem, a maioria até março de 2013.

A Gol concluiu a compra da WebJet em outubro de 2011, por R$ 70 milhões, além de ter assumido dívidas de cerca de R$ 200 milhões de reais.

Demissões

Com o aumento de custos verificado neste ano, a Gol reduziu cerca de 100 frequências de voos e já tinha demitido anteriormente cerca de 2 mil funcionários no primeiro semestre. Após o anúncio de novas demissões na WebJet, Kakinoff descartou novos cortes no quadro de funcionários.

"Agora, com a nova estrutura, incluindo o desligamento desses 850 colaboradoes, nossa estrutura ficará estável em torno de 17 mil colaboradores", disse ele em teleconferência com jornalistas.

Segundo o executivo, a maioria dos demitidos é formada por membros de tripulação. A Gol irá absorver 450 funcionários da WebJet que atuam principalmente nos aeroportos.

"A WebJet tem índice de eficiência em aeroportos, tanto no check-in não presencial quanto em automatização, bastante superior ao que a própria Gol oferecia", explicou Kakinoff.

A marca da empresa adquirida, por sua vez, deverá deixar de existir até o fim do ano.

Menor oferta doméstica

A companhia estima em 5% a 8% a redução da oferta doméstica de assentos no primeiro semestre de 2013, mas ressaltou que todos os passageiros da WebJet terão os voos garantidos.

De acordo com o diretor-presidente da Gol, a frota da companhia ficará em cerca de 130 aeronaves, e com a redução da oferta deverá haver um aumento na taxa de ocupação. "Nós temos expectativa de aumento da taxa de ocupação, mas não é possível precisar agora."

A aquisição da WebJet pela Gol foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em 10 de outubro último, condicionada ao cumprimento de um acordo para garantir um patamar de 85% de eficiência na operação dos slots do aeroporto de Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

A Gol afirmou, após o aval do Cade ao negócio, que pretendia concluir a integração da malha da WebJet em dezembro, divulgando até o fim do ano um plano de sinergias que poderiam ser alcançadas.

As ações da Gol subiam 0,62% às 12h28, cotadas a R$ 9,74. No mesmo instante, o Ibovespa tinha alta de 1,06%.

 

 

registrado em: ,