Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2012 / 09 / Nordeste cresce acima da média nacional, mas técnicos veem carência de projetos

Nordeste cresce acima da média nacional, mas técnicos veem carência de projetos

por Redação da RBA publicado 12/09/2012 18h49, última modificação 12/09/2012 18h56

São Paulo – O Nordeste registrou crescimento superior ao do Brasil nos últimos quatro anos, e se prevê que isso se repetirá em 2012, disse hoje (12) o secretário da Fazenda de Pernambuco, Paulo Câmara. Segundo sua projeção, para que a região se iguale à média nacional deverá crescer um ponto percentual acima durante 41 anos. “O Nordeste vem conseguindo superar o país, mas com restrições”, observou o economista, durante seminário promovido pela agência Dinheiro Vivo, do jornalista Luis Nassif. O secretário prevê crescimento do PIB no Nordeste em torno de 3,5% a 4%, enquanto as estimativas para o país concentram-se entre 1,5% e 2%.

Os nove estados da região abrangem 28% da população brasileira, mas representam apenas 13,5% do Produto Interno Bruto (PIB). Já o Sudeste, com 42% da população, tem participação de 55%. Mas as análises apontam tendência de crescimento do Nordeste nos próximos, inclusive com maior participação no mercado consumidor. O secretário critica a falta de uma política de desenvolvimento regional no país e apontou a carência de projetos para a região. “Pernambuco conseguiu muita coisa porque apresentou projetos”, comentou.

O diretor de Negócios do Banco do Nordeste, Paulo Sérgio Ferraro, concordou. “Não tem empresa para fazer projeto no setor público. O orçamento chega a ser devolvido.” O gerente do Departamento Regional Nordeste do BNDES, Fernando Castilhos, reforçou: “O banco não faz projeto. Por mais que a gente incentive, é preciso apresentar projeto”. De R$ 890,96 bilhões de desembolsos feitos pelo banco de 2010 a 2012, 11% foram direcionados ao Nordeste – ante 56% para o Sudeste.