Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2011 / 05 / Analistas mantêm projeção para crescimento do PIB e redução da inflação em 2011

Analistas mantêm projeção para crescimento do PIB e redução da inflação em 2011

por Kelly Oliveira, da Agência Brasil publicado 23/05/2011 10h22, última modificação 23/05/2011 10h24

Brasília - Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) reduziram a estimativa para o crescimento da economia em 2012 de 4,20% para 4,10%. Para 2011, a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, foi mantida em 4%.

Segundo o boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (23) pelo BC, a expectativa para o crescimento da produção industrial, neste ano, permanece em 3,73%, neste ano, e oscilou de 4,60% para 4,55%, em 2012.

A projeção para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB foi ajustada de 39,26% para 39,23%, em 2011, e continua em 38%, para o o próximo ano.

A expectativa para a cotação do dólar segue em R$ 1,62, ao final de 2011, e em R$ 1,70, ao fim do próximo ano. A previsão para o superávit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) foi ajustada de US$ 19,5 bilhões para US$ 20 bilhões, neste ano, e permanece em US$ 10 bilhões, em 2012.
Para o déficit em transações correntes (registro das transações de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior), a estimativa foi mantida em US$ 60 bilhões, em 2011, e em US$ 70 bilhões, no próximo ano.

A expectativa para o investimento estrangeiro direto (recursos que vão para o setor produtivo do país) permanece em US$ 50 bilhões, neste ano, e em US$ 45 bilhões, em 2012.

Inflação

Já a projeção dos analistas do mercado financeiro para a inflação oficial neste ano caiu pela terceira semana seguida. A estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou de 6,31% para 6,27%. Para 2012, entretanto, a projeção subiu de 5% para 5,10%. As informações constam do boletim Focus, publicação semanal divulgada pelo Banco Central (BC), elaborada com base nas estimativas de analistas do mercado financeiro para os principais indicadores da economia.

A meta de inflação, que deve ser perseguida pelo BC, é 4,5%, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Quando o BC considera que a economia está muito aquecida, com trajetória de inflação em alta, a taxa básica de juros, a Selic, é elevada. Na avaliação dos analistas, a Selic deve encerrar 2011 em 12,50% e 2012 em 12,25% ao ano. Atualmente a taxa está em 12% ao ano.

A pesquisa do BC também traz estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que passou de 5,90% para 5,92%, neste ano, e segue em 4,79% na previsão para 2012.

A estimativa para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), neste ano, passou de 6,94% para 6,89%. Para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), neste ano, a expectativa foi alterada de 6,81% para 6,80%. Para 2012, a projeção para esses dois índices permanece em 5%.
A estimativa dos analistas para os preços administrados permanece em 4,95%, em 2011, e em 4,50%, no próximo ano. Os preços administrados são aqueles cobrados por serviços monitorados, como combustíveis, energia elétrica e telefonia, entre outros.

registrado em: , , , ,