Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2011 / 04 / Preço da cesta básica em março sobe em 14 de 17 capitais

Preço da cesta básica em março sobe em 14 de 17 capitais

Café, óleo de soja, tomate, manteiga e carne subiram na maioria dos locais. Dieese estimou o valor do salário mínimo em R$ 2.247,94.
por Vitor Nuzzi, da RBA publicado 05/04/2011 12h06, última modificação 05/04/2011 16h27
Café, óleo de soja, tomate, manteiga e carne subiram na maioria dos locais. Dieese estimou o valor do salário mínimo em R$ 2.247,94.

São Paulo – O preço da cesta básica subiu em março em 14 das 17 capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), acima do verificado no mês anterior (alta em oito capitais). As principais elevações foram registradas em Natal (6,19%), Salvador (4,90%), Vitória (4,88%) e Rio de Janeiro (4,33%). O instituto apurou queda apenas em Recife (-0,77%), Manaus (-0,54%) e Brasília (-0,05%).

A cesta básica mais cara continua sendo a de São Paulo, onde o valor subiu 2,45% no mês passado e atingiu R$ 267,58. Com base nesse resultado, o Dieese calculou em R$ 2.247,94 o salário mínimo necessário para uma família. O valor corresponde a 4,12 vezes o mínimo oficial (R$ 545). Essa relação era de 4,23 vezes em março de 2010.

No primeiro trimestre, apenas uma capital (Manaus, -0,27%) registrou queda. Entre as maiores altas nos três primeiros meses do ano, estão Salvador (9,44%), Aracaju (9,36%), Brasília (7,14%) e Rio de Janeiro (7,06%). Em 12 meses, todas as capitais têm variações positivas – em cinco, as altas superam 10%: Fortaleza (19,99%), Natal (17,93%), Goiânia (17,22%), Vitória (11,23%) e Belo Horizonte (10,87%). Em três, houve aumento abaixo de 4%: Porto Alegre (1,58%), Recife (3,84%) e João Pessoa (3,90%).

Segundo o Dieese, a jornada de trabalho necessária para a aquisição da cesta foi de 96 horas e 13 minutos, ante 95 horas e nove minutos em fevereiro. Já em março do ano passado, a jornada atingiu 94 horas e 38 minutos.

A maioria dos produtos aumentou de preço. O café, por exemplo, teve alta em 16 das 17 capitais, atingindo 10,99% em Salvador e 9,64% em Vitória. Só caiu no Rio de Janeiro (-0,60%). Já o óleo de soja aumentou em 15 capitais, o tomate em 14, a manteiga em 12 e a carne, em 11.