Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2010 / 03 / Bancos “alinham” tarifas e promovem aumentos de mais de 300%

Bancos “alinham” tarifas e promovem aumentos de mais de 300%

Levantamento do Idec mostra que regra que deveria estimular concorrência e queda de tarifas serviu para igualar serviços baratos aos caros
por Redação da RBA publicado 31/03/2010 14h39, última modificação 31/03/2010 14h40
Levantamento do Idec mostra que regra que deveria estimular concorrência e queda de tarifas serviu para igualar serviços baratos aos caros

Banrisul mantém tarifas avulsas mais altas entre os bancos pesquisados (Foto: Afonso Lima/Sxc.hu)

Um levantamento do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) mostra que foram insuficientes as regras do Banco Central que visavam a dar mais transparência às tarifas cobradas pelos bancos. Quase dois anos depois de as normas entrarem em vigor, o Idec detectou uma elevação de até 328% nos preços dos serviços – o equivalente a 33 vezes a inflação brasileira no período, que vai de abril de 2008 a fevereiro deste ano.

Para o instituto, o fenômeno é explicado por um nivelamento que revela falta de concorrência. A partir de 2008, o BC forçou as entidades a tornarem públicas suas tarifas, o que fez os bancos que trabalhavam com cobranças menores subiram seus serviços até chegarem ao mesmo nível das instituições mais “careiras”, e não o contrário, como era esperado.

O levantamento obtido pelo jornal O Estado de S. Paulo leva em conta os dados disponibilizados nas páginas dos bancos na internet. O Banrisul, que pertence ao estado do Rio Grande do Sul, ficou com seis das dez primeiras posições no quesito “tarifas avulsas”. O fornecimento de folhas avulsas de cheque, que em abril de 2008 custava R$ 0,35, fica agora em R$ 1,50, levando o primeiro lugar na lista.

A relação por “pacotes de serviços” tem também domínio do Banrisul, mas a liderança cabe ao Banco Real. O pacote Real Serviços Simples subiu de R$ 12 para R$ 19 ao mês em um espaço de dois anos, uma variação de 65,8%. 

"A principal conclusão que tiramos é que as maiores variações são explicadas pelo realinhamento das tarifas com a média do setor", diz Ione. "Isso mostra que os bancos não trabalham pela menor tarifa, mas para estar junto dos outros, o que demonstra pouca concorrência."

Os bancos como Santander, Bradesco e Caixa Econômica Federal alegaram, à reportagem do jornal, que oferecem pacotes de serviço que garantem descontos aos correntistas, apesar de as tarifas avulsas oscilarem.

Consulta

O Idec oferece, em sua página na internet, um serviço para que o consumidor possa saber as tarifas cobradas por cada banco pelos pacotes. O “tarifômetro” está disponível para os clientes dos dez maiores bancos do país: Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Banco Real, Santander e Unibanco. Para facilitar a consulta, o Idec separa os pacotes de serviços de acordo com as faixas de preços

Estão relacionadas as tarifas de 30 serviços considerados prioritários, como saques, extratos e DOC. A variação de cobrança pelo extrato mensal de conta corrente ou poupança, por exemplo, variou mais de 200% no mês passado.

registrado em: , ,