Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2010 / 02 / Brasil e Argentina discutem regras de política industrial

Brasil e Argentina discutem regras de política industrial

Representantes dos dois países estão reunidos para buscar estratégias comuns para aumentar a competitividade em até 13 áreas
por Renalta Giraldi publicado 18/02/2010 12h42, última modificação 18/02/2010 12h45
Representantes dos dois países estão reunidos para buscar estratégias comuns para aumentar a competitividade em até 13 áreas

Brasília – Representantes do Brasil e da Argentina se reúnem nesta quinta (18) e sexta-feira (19) para definir as linhas de uma política industrial comum envolvendo até 13 áreas. O objetivo é integrar os dois parques produtivos para que argentinos e brasileiros ampliem a capacidade de competitividade internacional em setores que vão do leite à alta tecnologia. Nestes dois dias, a expectativa é de concentrar a atenção em propostas e áreas específicas.

As reuniões ocorrem em Buenos Aires e contam com a presença de representantes dos governos e de setores de investimentos.
 
A ideia é acelerar e aprofundar o trabalho em conjunto para desenvolver a  integração produtiva. Os negociadores deverão trocar informações sobre as áreas de interesses dos dois países, apresentar propostas de método para a execução do programa e sugerir um cronograma de ações.

A penúltima etapa de articulações ocorreu em São Paulo no ano passado. As agências de financiamento dos dois países apresentaram programas e fundos que podem ser disponibilizados para esses fins. Para o Brasil há, pelo menos, 13 áreas que podem ser trabalhadas.

A relação de alternativas inclui leite, derivados de amido, bebidas, aeronaves, veículos espaciais e autopeças, além de produção de madeira e papel, além de mineração, exploração de biodiesel e máquinas agrícolas. Há também perspectivas para o intercâmbio de mão de obra. Por enquanto, não foram abordadas as questões de licença de importação e comércio.

Do Brasil foram a Buenos Aires para as reuniões o presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Reginaldo Arcuri, o secretário de Comércio Exterior, Welber Barral, e representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Câmara de Comércio Exterior (Camex) e do Ministério das Relações Exteriores.

Do lado argentino participam os secretários da Indústria, Eduardo Bianchi, de Política Comercial e Gestão, Eduardo Faingerch, e das Pequenas e Médias Empresas, Horacio Roura, além do coordenador nacional do Grupo de Integração Produtiva (Ministério das Relações Exteriores, Comércio Internacional e Culto), Hugo Varsky, o diretor da Agência Nacional de Investimento para o Desenvolvimento, Javier Rando, representantes do Banco de la Nación Argentina ( BNA) e do Banco de Investimentos e Comércio Exterior (BICE),  e a ministra da Indústria e do Turismo, Debora Giorgi.

Fonte: Agência Brasil