Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2009 / 10 / IGP-DI sobe 0,25% em setembro com atacado e construção

IGP-DI sobe 0,25% em setembro com atacado e construção

por Vanessa Stelzer publicado 06/10/2009 09h48, última modificação 06/10/2009 09h50 © Thomson Reuters 2009. All rights reserved

São Paulo - A inflação pelo Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) acelerou em setembro, devido a maiores custos no atacado e no setor de construção. A taxa ficou ligeiramente abaixo da previsão mediana do mercado.

O indicador subiu 0,25% em setembro, ante alta de 0,09% em agosto, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta terça-feira (6).

Dezessete analistas consultados pela Reuters previam alta de 0,28%, segundo a mediana. Os prognósticos oscilaram de 0,15% a 0,49%.

Entre os componentes do IGP-DI, o Índice de Preços por Atacado (IPA) teve alta de 0,29% em setembro, seguindo a elevação de 0,07% no mês anterior.

O IPA agrícola fechou o mês com queda de 0,76%, ante variação positiva anterior de 0,01%, mas o IPA industrial avançou em ritmo maior, de 0,63%, ante alta de 0,10% em agosto.

As principais altas individuais de preços no atacado foram de açúcar cristal, cana-de-açúcar, óleo combustível, batata-inglesa e açúcar refinado.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,18% em setembro, contra avanço de 0,20% em agosto.

Os custos do grupo Alimentação contribuíram para a ligeira desaceleração, caindo 0,11% no mês passado após subirem 0,40% no anterior. Já os de Vestuário reverteram parte do recuo de 0,98% de agosto, avançando 0,42% em setembro.

As maiores elevações de preços individuais no varejo foram de limão, gás de bujão, batata-inglesa, mamão papaia e açúcar refinado.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) teve aumento de 0,15% no mês passado, contra baixa de 0,05% no anterior. A pressão veio da reversão da queda do componente Materiais, equipamentos e serviços, de 0,24% em agosto para alta de 0,17% em setembro.

No ano, o IGP-DI acumula baixa de 1,35% e nos últimos 12 meses até setembro tem queda de 0,65%.

Fonte: Reuters