Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2009 / 10 / Brasil e UE pressionam EUA por prazo para Doha

Brasil e UE pressionam EUA por prazo para Doha

por Darren Ennis publicado 05/10/2009 19h24, última modificação 05/10/2009 19h25 © Thomson Reuters 2009. All rights reserved

Bruxelas - O Brasil e a União Europeia vão pressionar os Estados Unidos na terça-feira para que definam suas demandas para que a Rodada de Doha de negociações comerciais seja concluída em 2010, de acordo com o esboço de um documento nesta segunda-feira (5).

O esboço do comunicado, preparado para uma cúpula de UE e Brasil na terça-feira e obtido pela Reuters, afirmou que um compromisso das principais economias mundiais e dos países em desenvolvimento para alcançar um acordo no ano que vem "correrá riscos" a não ser que haja avanços, e faz um pedido velado a Washington para que apresente sua posição.

"Brasil e UE acreditam que o encerramento da Rodada de Doha em 2010 deve acontecer com base nos progressos já realizados, incluindo os relativos às modalidades, e então convoca os membros da OMC para determinarem qualquer demanda específica que possam ter", diz o esboço.

Líderes do G20, incluindo o presidente dos EUA, Barack Obama, renovaram suas promessas na cúpula do mês passado em Pittsburgh de finalizar a Rodada de Doha no máximo em 2010.

Mas a UE, o Brasil e outros parceiros comerciais mostraram-se frustrados com o fato de os EUA não definirem sua posição, o que segundo eles é necessário que seja conseguido antes do final do ano, visando facilitar o cumprimento do prazo de 2010.

"Toda vez que perguntamos aos EUA o que eles querem de nós, eles afirmam que ainda não podem dizer e que a nova administração ainda não está preparada para agir", afirmou um diplomata da UE à Reuters.

Existem dúvidas sobre o empenho de Obama, que já enfrenta disputas no Congresso sobre a reforma do sistema de saúde e mudanças climáticas, para pressionar por um acordo a que muitos membros de seu Partido Democrata podem se opor.

"A mensagem da cúpula UE-Brasil claramente destaca a necessidade de que todos os membros da OMC, com destaque para os EUA, esclareçam o que querem e como veem o processo avançar. Mostra que a UE e o Brasil estão comprometidos em fazer as coisas andarem agora e não mais tarde", disse o diplomata.

A UE e o Brasil também querem que os ministros dos países membros se reúnam para discutir especificamente o avanço de Doha antes de uma conferência da Organização Mundial de Comércio (OMC) marcada para dezembro em Genebra.

Após cerca de oito anos de negociação, os membros da OMC ainda não chegaram a um acordo sobre fórmulas importantes, conhecidas como modalidades, para reduzir tarifas agrícolas e industriais e cortar subsídios agrícolas.

"Precisamos chegar a um acordo sobre as modalidades antes do final do ano para cumprirmos o prazo de 2010", disse outro diplomata da UE.

Fonte: Reuters

registrado em: , , ,