Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2009 / 10 / Aumenta pela quarta vez projeção de crescimento da economia neste ano

Aumenta pela quarta vez projeção de crescimento da economia neste ano

por Kelly Oliveira publicado 26/10/2009 10h22, última modificação 26/10/2009 10h23

Brasília - Os analistas do mercado financeiro aumentaram pela quarta vez consecutiva a estimativa para o crescimento da economia neste ano. A informação consta do boletim Focus, publicação semanal elaborada pelo Banco Central (BC) com base em projeções do mercado financeiro para o principais indicadores da economia.

A projeção para o Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, em 2009, passou de 0,12% para 0,18%. Há quatro semanas, a previsão era de estabilidade. Para 2010, a estimativa foi mantida em 4,80%.

Em relação à produção industrial neste ano, os analistas mantiveram a estimativa de queda de  7,56%. Para 2010, a projeção de crescimento foi alterada de 6,08% para 6,50%.

Segundo o boletim Focus, os analistas ajustaram a projeção para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB, que passou de 43,90% para 43,95% neste ano e de 41,50% para 41,90% em 2010.

A expectativa para a cotação do dólar ao final de 2009 foi mantida em R$ 1,70. Para 2010, a previsão também não foi alterada (R$ 1,75).

A previsão para o superavit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) neste ano subiu de US$ 25,65 bilhões para 25,85 bilhões. Já para 2010, os analistas reduziram a estimativa de US$ 16,5 bilhões para US$ 16 bilhões.

Para o deficit em transações correntes (registro das transações de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior) neste ano, os analistas elevaram a estimativa de US$ 16,4 bilhões para US$ 16,8 bilhões. Para 2010, foi alterada a projeção de US$ 30 bilhões para US$ 31 bilhões.

A expectativa para o investimento estrangeiro direto (recursos que vão para o setor produtivo do país) em 2009 foi mantida em US$ 25 bilhões. Para o próximo ano, a projeção foi ajustada de US$ 32 bilhões para US$ 33 bilhões.

Fonte: Agência Brasil