Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2009 / 07 / Produção industrial sobe em maio em oito das 14 regiões pesquisadas pelo IBGE

Produção industrial sobe em maio em oito das 14 regiões pesquisadas pelo IBGE

As expansões mais significativas foram verificadas no Amazonas (11,7%) e na Bahia (7,5%)
por Thais Leitão publicado 06/07/2009 16h12, última modificação 06/07/2009 16h13
As expansões mais significativas foram verificadas no Amazonas (11,7%) e na Bahia (7,5%)

Rio de Janeiro - A produção industrial brasileira cresceu de abril para maio em oito das 14 regiões incluídas na Pesquisa Industrial Regional Mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dados divulgados nesta segunda-feira (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que as expansões mais significativas foram verificadas no Amazonas (11,7%) e na Bahia (7,5%). Também houve crescimento superior à media nacional (1,3%) em São Paulo (2,4%), na Região Nordeste (1,8%) e em Minas Gerais (1,4%).

O ritmo de alta menos intenso foi em Santa Catarina, no Rio Grande do Sul e no Rio de Janeiro (todos com expansão de 0,6%). O levantamento mostra também que em Pernambuco a produção ficou estável e que houve queda na atividade no Espírito Santo (-0,6%), em Goiás (-1,2%), no Paraná (-4,1%), no Ceará (-4,3%) e no Pará (-5,6%).

Na comparação com o mês de maio do ano passado, a produção industrial caiu em todas as 14 regiões analisadas. As quedas mais acentuadas foram em São Paulo (-11,6%), no Paraná (-11,9%), na Bahia (-12,3%), no Pará (-14,1%) em Minas Gerais (-20%) e no Espírito Santo (-29%).

O documento do IBGE destaca que no acumulado dos cinco primeiros meses do ano houve recuo em todas as áreas pesquisadas. Mas a comparação do desempenho entre primeiro quadrimestre do ano com o mês de maio mostra uma “redução no ritmo de queda da atividade industrial na maior parte (dez) das áreas pesquisadas, acompanhando o movimento do índice nacional, onde o setor passou de –14,7% de crescimento nos quatro primeiros meses do ano para –11,3% em maio”.

Fonte: Agência Brasil
 

registrado em: ,