Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2009 / 07 / Governo quer menos spread em empréstimos com dinheiro do FAT

Governo quer menos spread em empréstimos com dinheiro do FAT

Carlos Lupi, ministro do Trabalho, aponta que metade do juro cobrado por bancos públicos com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador poderia ser eliminado
por José Mombelli, Jornal Brasil Atual publicado 03/07/2009 10h14, última modificação 03/07/2009 10h20
Carlos Lupi, ministro do Trabalho, aponta que metade do juro cobrado por bancos públicos com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador poderia ser eliminado

Recursos do FAT são usados em obras de infraestrutura, indústria e agropecuária (Foto: Gervásio Baptista/ABr)

As taxas de juros cobradas pelos bancos públicos para concessão de créditos com recursos do Fundo do Amparo ao Trabalhador (FAT) poderão cair pela metade. Esta é a proposta do ministro do Trabalho, Carlos Luppi, para programas de geração de emprego e renda (Proger).

Um estudo do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) analisou a composição dos juros cobrados pelos bancos públicos nessas linhas e identificou que nelas estão embutidos itens como inadimplência e o custo com o compulsório. As linhas de crédito com recursos do FAT, que são operadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), pelo Banco do Brasil, pela Caixa Econômica Federal e pelo Banco do Nordeste, entre outros.

Segundo Luppi, ao operar com esses recursos, os bancos têm cobertura de um fundo de aval para inadimplência de até 80% dos financiamentos e ainda são livres do compulsório (parte do dinheiro que estas instituições têm que depositar no Banco Central).

Na avaliação do ministro, retirados estes itens, o spread, que é a diferença entre o que os bancos pagam pelos recursos e o que cobram do tomador final do crédito, pode cair. "Verificamos que alguns itens do spread da taxa final não seriam necessários de serem cobrados, por ter outros tipos de garantia", explica.

Segundo dados do Ministério do Trabalho, as linhas de crédito com recursos do FAT tiveram a contratação de mais de 593 mil operações desde o ano 2000, no valor de cerca de R$ 9 bilhões.

registrado em: , ,