Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2009 / 05 / Alemanha está perto de decisão sobre destino da Opel

Alemanha está perto de decisão sobre destino da Opel

Decisão deve siar ainda nesta semana, após negociações com Fiat, Magna e RHJ
por Andreas Moeser and Christiaan Hetzner, Reuters publicado 25/05/2009 15h55, última modificação 25/05/2009 15h56 © 2009 Thomson Reuters. All rights reserved
Decisão deve siar ainda nesta semana, após negociações com Fiat, Magna e RHJ

Berlim/Frankfurt (Reuters) - A Alemanha vai se decidir sobre o grupo preferencial interessado na montadora Opel, unidade da General Motors, até a metade da semana, após ter mantido uma rodada final de negociações com Fiat, Magna e RHJ.

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse a repórteres nesta segunda-feira (25) que a pressão para escolher um investidor está aumentando antes do prazo de reestruturação da General Motors fixado em 1º de junho pelo governo norte-americano, que deve conduzir a um pedido de proteção judicial contra falência.

"Na metade dessa semana provavelmente haverá um certo acúmulo de pressão para uma decisão", afirmou Merkel.

O grupo canadense Magna International apareceu como favorito para ganhar a Opel na semana passada, mas a Fiat melhorou sua proposta e o grupo belga RHJ International continua na disputa.

Várias autoridades familiarizadas com os planos do governo disseram que uma decisão deve ser tomada na noite de quarta-feira, após consultas envolvendo Berlim, GM e o governo norte-americano.

"Uma decisão deve surgir na manhã de quinta-feira no máximo", declarou à Reuters uma autoridade, que pediu para não ser identificada.

A Opel tem 25 mil trabalhadores em quatro fábricas na Alemanha e o destino da montadora se tornou um tópico de debate em Berlim antes das eleições parlamentares em 27 de setembro.

Líderes sindicais fizeram um apelo ao governo alemão para proteger a Opel dos efeitos de qualquer pedido de proteção contra falência por parte da GM e garantir um acorco para a sobrevivência da companhia.

"A qualidade deve vir antes da rapidez", disse o membro do conselho da Opel e líder do grupo sindical IG Metall, Armin Schild, à Reuters. "Nós precisamos de uma solução sustentável e não devemos apressar um acordo que se venha a ser um fracasso seis meses depois."

O porta-voz de Merkel, Ulrich Wilhelm, acrescentou que as negociações com as três companhias interessadas na Opel continuam e as ofertas ainda estão sendo melhoradas.

registrado em: ,