Home -Destaques da home Papa Francisco: Amazônia sofre com mentalidade cega e destruidora
Recado a Bolsonaro

Papa Francisco: Amazônia sofre com mentalidade cega e destruidora

Para o pontífice, situação da floresta é símbolo da relação do homem com a natureza. "Não esqueçam que justiça social e ecologia estão profundamente interligadas"
Publicado por Cida de Oliveira, da RBA
17:10
Compartilhar:   
Reprodução/Focolares

São Paulo – A situação da Amazônia é um triste paradigma do que está acontecendo em muitas partes do planeta: uma mentalidade cega e destruidora que favorece o lucro à justiça; coloca em evidência a conduta predatória com a qual o homem se relaciona com a natureza. Por favor, não esqueçam que justiça social e ecologia estão profundamente interligadas! A mensagem é do papa Francisco, dirigida hoje (6) aos participantes do 2º Fórum das Comunidades Laudato Si’, em Amatrice, na região de Roma.

Laudato Si é movimento global pelo clima apoioado pela igreja católica, inspirado pela encíclica socioambiental de mesmo nome assinada por Francisco. O objetivo é mobilizar um milhão de católicos em todo mundo para colocarem em prática a encíclica sobre “o cuidado com a casa comum” e a “ecologia integral”, pautada pelo respeito à natureza e justiça social.

“A situação da Amazônia é um triste paradigma do que está acontecendo em muitas partes do planeta: uma mentalidade cega e destruidora que favorece o lucro à justiça; coloca em evidência a conduta predatória com a qual o homem se relaciona com a natureza. Por favor, não esqueçam que justiça social e ecologia estão profundamente interligadas”, disse o papa.

O pontífice destacou ainda a situação dos povos amazônicos. “O que está acontecendo na Amazônia terá repercussões em nível planetário, mas prostrou milhares de homens e mulheres roubados do seu território, que se tornaram estrangeiros na própria terra, depauperados da própria cultura e das próprias tradições, quebrando o equilíbrio milenar que unia aqueles povos à sua terra. O homem não pode permanecer um espectador indiferente diante dessa destruição, nem a Igreja deve ficar em silêncio.  O grito dos pobres deve ressoar da sua boca, como já indicava São Paulo 6º na sua encíclica Populorum progressio.”

Por meio de sua conta no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro mandou hoje (6) um recado para cientistas, ativistas, chefes de governo e todos aqueles que se levantam contra sua política ambiental e as repercussões comerciais e econômicas. “O Brasil é exemplo para o mundo na preservação ambiental. ONGs, artistas, ‘Raonis’ não mais influenciarão em nossa política externa”.

Desde que Bolsonaro assumiu o governo, o desmatamento na Amazônia disparou. Só em maio passado foram devastados 750 quilômetros de floresta.