História de luta

Memorial da Democracia celebra a luta por direitos no país

Ao completar cinco anos, museu virtual mostra os retrocessos que tomaram conta do país desde o golpe parlamentar que retirou Dilma Rousseff da presidência, em 2016

Reprodução
Memorial da Democracia é um museu virtual com dados históricos sobre a luta por direitos do povo brasileiro

São Paulo – A luta por direitos no país tem uma referência histórica, que é o museu virtual Memorial da Democracia. Neste mês, o projeto completa cinco anos. Concebido por uma equipe de jornalistas, historiadores, artistas e pesquisadores, o memorial é uma obra em construção permanente. Seu objetivo é colocar à disposição de todos os brasileiros conteúdos dinâmicos sobre a longa caminhada do Brasil, da colônia ao século 21, em busca de democracia com justiça social.

É o que mostra reportagem de Jô Miyagui no Seu Jornal, da TVT, nesta segunda-feira (21). “Desde o golpe de 2016 contra a presidenta Dilma Rousseff, nossa jovem democracia sofre ataques constantes. E também são atacados todos os tipos de direitos dos brasileiros”, afirma o jornalista.

Segundo o professor de ciência política Francisco Fonseca, esses ataques são “um crime contra os trabalhadores”. Entre os retrocessos, ele destaca a reforma trabalhista, que ataca os direitos dos trabalhadores. Lembra também a terceirização irrestrita, tanto para atividades meio, como atividades fim em empresas privadas e estatais. E a Emenda Constitucional 95, que congela os gastos sociais em educação, saúde e seguridade social por 20 anos. Outro retrocesso está na reforma previdenciária, que dificulta ao trabalhador se aposentar e torna ainda mais injusto o sistema previdenciário no país. 

Fruto de luta

Outro ataque à democracia, ainda, é o ativismo político do Judiciário, como é o caso da operação Lava Jato. A pretexto de combater a corrupção, a Lava Jato tem interferido nos rumos da política nacional. “Uma grande parte do Poder Judiciário tem desestabilizado a democracia. Falou-se muito em judicialização da política, mas hoje é muito mais do que isso. É a politização do judiciário, ou a partidarização do Judiciário. A operação Lava Jato é o exemplo mais cabal. É um Estado dentro do Estado. É um estado protofascista. O que é a figura do Deltan Dallagnol, do Sergio Moro?! Eles não têm nada de promotor e juiz. São militantes políticos de direita.”

A democracia no país não caiu do céu. Foi conquistada com luta, em meio a perseguições, tortura, e o sangue dos trabalhadores, militantes políticos e estudantes. “Isso foi fruto da conquista do povo brasileiro, como disse Darcy Ribeiro muito bem, que o melhor do Brasil é o povo brasileiro”, afirma o jornalista Franklin Martins. 

Para contar essa história, que é da luta e resistência no Brasil, foi criado em setembro de 2015, o Memorial da Democracia. É um museu virtual multimídia, com textos, fotos, vídeos e áudios com informações de 1929 a 2010, destaca o jornalista, que ajudou a criar o memorial. “A ideia é recuperar a luta pela democracia no país”.

Confira a reportagem da TVT