cinema em casa

‘É Tudo Verdade’: festival entra em fase competitiva com títulos imperdíveis

Mostra de documentários completa 25 anos e retorna hoje (23) com 61 títulos. A abertura fica por conta do premiado “A Cordilheira dos Sonhos” (2020), do chileno Patricio Guzmán

divulgação
A Cordilheira dos Sonhos trata-se de um filme imperdível do renomado documentarista que completa, com o título, uma trilogia amplamente reconhecida. Fazem parte da sequência Nostalgia da Luz (2010) e O Botão de Pérola (2015)

São Paulo – O festival “É Tudo Verdade” faz 25 anos. O maior evento de documentários da América Latina estava pronto para uma edição especial, com grandes títulos para o público brasileiro neste 2020. Entretanto, a pandemia de covid-19 mudou os planos da organização. Após adiamentos, o festival começou em março, com sua primeira fase, on-line.

Com os cinemas ainda fechados em São Paulo, seguirá no modo streaming. Hoje (23), começa a segunda fase da mostra. A segunda parte conta com o desenvolvimento das competições, com sessões gratuitas, pela internet, a partir de amanhã (25). A abertura fica por conta de A Cordilheira dos Sonhos (2020), do chileno Patricio Guzmán, eleito melhor documentário em Cannes. A exibição será realizada no drive-in do Petra Belas Artes, em São Paulo, às 21h.

A Cordilheira dos Sonhos trata-se de um filme imperdível do renomado documentarista que completa, com o título, uma trilogia amplamente reconhecida. Fazem parte da sequência Nostalgia da Luz (2010) e O Botão de Pérola (2015). Em pauta, os avanços nostálgicos do líder popular chileno Salvador Allende (1970-1973) e a brutalidade da ditadura de Pinochet (1973-1990), que, entre mortos e desaparecidos, está o próprio Allende. Toda essa história contada a partir de composições belas e complexas, com imagens e enredos para fazer suspirar e refletir qualquer espectador.

Entretanto, para quem não está na capital paulista ou não pretende comparecer ao cinema para carros, o título estará disponível à partir das 20h30 na plataforma streaming do festival. E, a partir de amanhã (23), os 60 demais títulos também passam a entrar, progressivamente, na plataforma, até o dia 4 de outubro.

O festival

Entre os dias 25 de março e 15 de abril, o É Tudo Verdade apresentou 30 títulos entre longas, curtas e séries. Desta vez, o espectador pode participar das mostras competitivas e assistir, gratuitamente, aos 61 títulos. É importante verificar a agenda de exibições na plataforma do É Tudo Verdade os horários, pois estes são fixos e as exibições expiram após o prazo.

“Circunstâncias emergenciais exigem soluções excepcionais. A pandemia inviabilizou nossa 25ª edição em salas, mas vamos celebrar esta marca histórica com uma segunda etapa também digital, reafirmando, em sintonia com nossos patrocinadores e parceiros, a tradição de excelência de nossas competições, sessões especiais, palestras e debates”, disse Amir Labaki, diretor-fundador do “É Tudo Verdade”.

Entre os destaques estão 10 longas brasileiros que serão exibidos, diariamente, a partir das 21h. Os diretores dos documentários participarão de debates, sempre nos dias seguintes, às 17h. Já o fechamento do festival fica por conta de Wenders, Desesperado (2020), de Eric Friedler e Andreas Frege, sobre a vida do diretor alemão de obras-primas como Paris, Texas (1984) e Buena Vista Social Club (1999).