Passado e presente

Eliana Pittman ressurge com clássicos da MPB e gravações inéditas dos anos 1970

Cantora lançou em 2019 o álbum "Eliana Ontem, Hoje e Sempre" e estará no "Hora do Rango" recordando a carreira

Divulgação
“Com este trabalho, festejo com orgulho e gratidão o meu ontem e o meu hoje, que vem a ser o meu sempre”, afirma Eliana Pittman, famosa por suas interpretações de sambas, carimbós e jazz

São Paulo — A cantora Eliana Pittman é a convidada desta quarta-feira (4) do programa Hora do Rango, a partir do meio-dia, na Rádio Brasil Atual. Filha de Booker Pittman, importante saxofonista e clarinetista de jazz nascido nos Estados Unidos — apelidado de “Buca” por Pixinguinha  —, ela lançou este ano o álbum Eliana Ontem, Hoje e Sempre.

Gravado no formato acústico com violão e percussão, o novo disco reúne clássicos da MPB, como O Morro Não Tem Vez (Carlos Lyra, Vinicius de Moraes e Tom Jobim), Ex-amor (Martinho da Vila), Drão (Gilberto Gil), Onde Estará o Meu Amor (Chico César),  Preciso Dizer que Te Amo (Dê, Cazuza e Bebel Gilberto), além de Yo Vengo a Ofrecer mi Corazón (Fito Paez). A novidade é um bônus de oito faixas gravadas num show em Paris, nos anos 1970, na boate Dom Camillo.

O repertório é de clássicos, como Aquele Abraço (Gilberto Gil), Garota de Ipanema (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), Desafinado (Tom Jobim e Newton Mendonça), Ponteio (Edu Lobo e Capinan), Felicidade (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), O Pato (Jaime Silva e Neuza Teixeira), Big Spender (Cy Coleman e Dorothy Fields) e Manhã de Carnaval (Luiz Bonfá e Antônio Maria).

“Com este trabalho, festejo com orgulho e gratidão o meu ontem e o meu hoje, que vem a ser o meu sempre”, afirma Eliana, famosa por suas interpretações de sambas e carimbós nos anos 1970, assim como de jazz. Em sua carreira, ela gravou dezenas de discos e se apresentou em mais de 30 países. A cantora segue no palco com shows solos e atua em projetos paralelos, como Divas do Sambalanço (ao lado de Claudette Soares e Dóris Monteiro) e 100 anos de Dalva de Oliveira.

“Que eu possa realizar coisas bonitas na minha vida, ajudar as pessoas através do meu canto, trazendo esperança, paz e amor para cada um que escuta o som da minha voz”, deseja a convidada do Hora do Rango.


O programa

Hora do Rango, apresentado por Colibri Vitta e premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), recebe ao vivo, de segunda a sexta-feira, ao meio-dia, sempre um convidado diferente com algo de novo, inusitado ou histórico para dizer e cantar. Os melhores momentos da semana são compilados e reapresentados aos sábados e domingos, no mesmo horário.