Home Cultura Em ‘O Desmanche’, Craca e Dani Nega fazem álbum dançante e politizado
Discurso afiado

Em ‘O Desmanche’, Craca e Dani Nega fazem álbum dançante e politizado

Convidada do "Hora do Rango" desta terça-feira (26), a dupla diz que o disco é um chamado ao levante e também uma convocação à dança
Publicado por Luciano Velleda, para a RBA
08:32
Compartilhar:   
Divulgação

O segundo disco de Craca e Dani faz a fusão de ritmos da música brasileira com o eletrônico, o hip hop, funk e o rap, além de influências latinas e africanas

São Paulo — A dupla Craca e Dani Nega está no programa Hora do Rango desta terça-feira (26), a partir do meio-dia, na Rádio Brasil Atual. Em tempos de turbulências sociais e políticas, a dupla acredita que a música pode funcionar como condutora de ideias e sentimentos, acolhendo e reconfortando. E considera o segundo álbum – O Desmanche – um chamado ao levante, assim como uma convocação para dançar e extravasar.

O Desmanche é uma referência direta ao momento político em que nos encontramos”, explica Craca, responsável pela produção musical e arranjos do disco, que tem pegada mais dançante e poética, e participações especiais de Juçara Marçal, Luedji Luna, Roberta Estrela D’Alva, Sandra-X, Graça Cunha, Nanny Soul e o grupo Clarianas. “Há faixas bem dançantes que abrem espaço também para outras escutas. É um disco pra sentar e ouvir ou para ouvir de fone pela cidade”, sugere.

Com trabalho faz uma fusão de variados ritmos da música brasileira, além de eletrônico, latino, africano, hip hop, funk e rap. Há músicas que falam da resistência e da violência vivida pelo povo negro no Brasil, como Quando Voltarão?, que cita nomes de negros e índios militantes assassinados. A vereadora Marielle Franco é o primeiro nome lembrado. As faixas dançantes não deixam de ser reflexivas e de abordar temas políticos, como em Na Faca, na Fúria, no Grito ou no Dente.

As participações especiais são todas intencionalmente femininas. “As cantoras convidadas têm um trabalho consistente na cena musical, politicamente e esteticamente. O interessante é que cada uma delas trouxe um universo sonoro diferente contando no disco a sonoridade que as representam”, explica Dani Nega.

A música Boi Navegador abre o álbum com o coro do grupo Clarianas, trazendo a sonoridade da música popular tradicional brasileira. Não Pise na Bola tem participação da MC e apresentadora Roberta Estrela D’alva, parceira antiga de Dani Nega. Já as cantoras Juçara Marçal e Sandra-X reencontram-se na faixa Saravá Xangô, depois de tempos seguindo carreiras solos após atuarem à frente do grupo A Barca. Peito Meu, com participação de Luedji Luna e poesia de Dani Nega, fala de liberdade e outros sentimentos universais. Graça Cunha e Nanny Soul participam juntas em Casa de James, no ritmo dançante do funk e soul.


O programa

Hora do Rango, apresentado por Colibri Vitta e premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), recebe ao vivo, de segunda a sexta-feira, ao meio-dia, sempre um convidado diferente com algo de novo, inusitado ou histórico para dizer e cantar. Os melhores momentos da semana são compilados e reapresentados aos sábados e domingos, no mesmo horário.