História musical

Chico Teixeira resgata clássicos do folclore regional no álbum ‘Ciranda de Destinos’

Entre as canções escolhidas, "Negrinho do Pastoreio", "Nau Sertaneja" e "Rancho Fundo". Cantor está no Hora do Rango desta quarta-feira na 98.9 FM

Paulo Rapoport/Divulgação
“São músicas que eu já tinha vontade de gravar, fazem parte da minha vida e me emocionam. Tenho ligação com cada uma delas, estão dentro de mim”, explica Chico Teixeira, sobre as canções do novo álbum

São Paulo — O cantor e compositor Chico Teixeira é o convidado do programa Hora do Rango da quarta-feira (23), a partir do meio-dia, na Rádio Brasil Atual (98.9 FM). Também violonista, lançou neste ano seu quinto álbum, Ciranda de Destinos, com clássicos da música brasileira e canções de domínio público resgatadas por grupos folclóricos das regiões Sul, Sudeste e Nordeste. Com 10 faixas e produção musical do próprio Chico Teixeira, o disco conta com as participações de Yamandu Costa, Almir Sater, Roberto Mendes e Renato Teixeira, seu pai. “A escolha das participações foi bem natural, são todos meus amigos. Não fui eu que escolhi, as coisas foram clareando, as canções pertenciam a eles”, diz o autor.

Diferente de trabalhos anteriores, quando privilegiou canções autorais, Chico Teixeira apresenta uma abrangência maior da música popular brasileira. No repertório, clássicos como a cantiga mineira Riacho de Areia, em que o violão e coro de Roberto Mendes se unem à variante xaréu, da chula baiana, representando assim as congadas; e Negrinho do Pastoreio, música gaúcha de lenda afro-cristã, que traz a marca da luta contra a escravidão. Na canção, além da participação especial no violão, o registro pouco usual da voz de Yamandu. Em O Trenzinho do Caipira há a junção do erudito com o popular, enquanto Nau Sertaneja apresenta a visão poética das tradições do povo paraibano e Rancho Fundo representa tão bem o povo brasileiro.

“São músicas que eu já tinha vontade de gravar, fazem parte da minha vida e me emocionam. Tenho ligação com cada uma delas, estão dentro de mim”, afirma Chico Teixeira. “O público vai conhecer uma versão minha muito verdadeira e emocionante. Pesquisei muito para fazer o projeto, muito além das músicas, eu procurei a história delas.”

O programa

Hora do Rango, apresentado por Colibri Vitta e também premiado pela APCA, recebe ao vivo, de segunda a sexta-feira, ao meio-dia, sempre um convidado diferente com algo de novo, inusitado ou histórico para dizer e cantar. Os melhores momentos da semana são compilados e reapresentados aos sábados e domingos, no mesmo horário, na Rádio Brasil Atual.