Bella surpresa!

Zé Luiz Mazziotti reaparece em voz e violão no novo álbum “A Roma”

Com repertório de ícones da música brasileira, disco traz canções gravadas em 1992, na Itália, e que ainda permaneciam inéditas. Ele é a atração desa quinta do Hora do Rango

Divulgação
Com 40 anos de carreira, Zé Luiz Mazziotti é considerado um dos grandes intérpretes da música brasileira

São Paulo — O cantor e violonista Zé Luiz Mazziotti é o convidado desta quinta-feira (12) do programa Hora do Rango, a partir do meio-dia, na Rádio Brasil Atual. Considerado um dos melhores intérpretes da música popular brasileira, Mazziotti acaba de lançar o álbum A Roma, com músicas gravadas há 27 anos e só agora reveladas ao público. São 14 faixas, voz e violão e nada mais, e um repertório com canções de grandes mestres da música brasileira.

“Em 1992 fui à Itália ver os amigos, matar a saudade de quando morei por lá e das comidas deliciosas. Quem me hospedou foi meu amigo Cesare Benvenuti, produtor do meu primeiro vinil, Zé Luiz, gravado em 1979, que talvez seja o disco mais sofisticado que gravei. Cesare me convidou para experimentar um equipamento novo em seu estúdio, e me pediu que eu gravasse algumas coisas brasileiras lindas, como temos aos montes. Assim gravei 25 canções, com um som lindo, somente voz e eu mesmo ao violão. Estou feliz por poder mostrar essas 14 faixas escolhidas com todo o amor, tantos anos depois”, explica Zé Luiz Mazziotti.

Entre as canções do álbum, Anos dourados (Antonio Carlos Jobim e Chico Buarque), Choro bandido (Edu Lobo e Chico Buarque), Sem companhia (Ivor Lancellotti e Paulo César Pinheiro), Cobras e lagartos (Sueli Costa e Hermínio Bello de Carvalho) e os sambas Dança da solidão (Paulinho da Viola), Mar de Copacabana (Gilberto Gil), Outra vez (Antonio Carlos Jobim) e Receita de samba (Joyce Moreno e Paulo César Pinheiro), entre outras.

Nascido em Rio Claro (SP) e com uma carreira iniciada em meados dos anos 1960, integrou o grupo vocal Canto 4 e ganhou o primeiro lugar no Festival da TV Record de 1966, interpretando São Paulo, meu amor, de Tom Zé. Na cidade de São Paulo, estudou com a compositora e musicista Vera Brasil e fez shows em lugares históricos, como a Igrejinha e o Jogral. No Rio de Janeiro, gravou seus primeiros LPs, Zé Luiz (1979) e Sinais (1981).

No programa, Zé Luiz Mazziotti conta histórias dos seus 40 anos de carreira, fala sobre o novo álbum e, como não poderia faltar, canta e toca ao vivo.

O programa

Hora do Rango, apresentado por Colibri Vitta e premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), recebe ao vivo, de segunda a sexta-feira, ao meio-dia, sempre um convidado diferente com algo de novo, inusitado ou histórico para dizer e cantar. Os melhores momentos da semana são compilados e reapresentados aos sábados e domingos, no mesmo horário.