Home Cultura Com “Macumbas e Catimbós”, Alessandra Leão faz a conexão entre terreiro, estúdio e palco
Amor e respeito

Com “Macumbas e Catimbós”, Alessandra Leão faz a conexão entre terreiro, estúdio e palco

Sustentado por vozes e percussão, novo trabalho da artista pernambucana é uma celebração do sagrado
Publicado por Luciano Velleda, para a RBA
07:24
Compartilhar:   
Bia Varella/Divulgação

Alessandra Leão diz que o álbum "Macumbas e Catimbós" é um "manifesto de amor e respeito”, um presente aos Orixás, guias e entidades que dançam, cantam, orientam e curam

São Paulo — A cantora e compositora Alessandra Leão fecha a semana do programa Hora do Rango, nesta sexta-feira (6), a partir do meio-dia, na Rádio Brasil Atual. Também percussionista, ela lançou esse ano o álbum Macumbas e Catimbós, com 15 faixas gravadas em percussão e voz, num repertório com músicas próprias e pontos tradicionais de candomblé, umbanda e jurema.

 “Esse é, sobretudo, um presente que ofereço aos Orixás, aos guias e entidades que trabalham, dançam, cantam, receitam, orientam e curam. É presente às forças que me guiam. Às que nos protegem e fortalecem, individual e coletivamente, há muito tempo nessas terras. Um agradecimento ao povo de terreiro que veio antes e construiu o caminho em que pisamos hoje. Uma celebração ao sagrado e seus diferentes nomes e formas. Não pretendi, nem pretendo reproduzir uma gira ou um xirê. Esse não é um registro de ‘música religiosa’, é sobre isso também, mas é um disco de música brasileira. É uma obra a partir desse universo, sonoro e estético, que tanto representa e fundamenta, social e culturalmente, o Brasil”, explica Alessandra Leão.

O novo disco conta com as participações especiais de Lia de Itamaracá, Mateus Aleluia, Sapopemba, Luiz Quiguiriçá e Terreiro Recanto Quiguiriçá, além de coros com Lívia Mattos, Lenna Bahule, Karina Buhr, Isaar e Manu Maltez. A base dos arranjos é formada por um trio de ilús (tambores usados nos terreiros de xangô e jurema, em Pernambuco), ferros e abês. O resultado é a conexão de terreiro, palco e estúdio. 

Segundo Alessandra Leão, Macumbas e Catimbós é um “manifesto de amor e respeito”. Em 20 anos de carreira, a artista pernambucana já se apresentou ao lado de importantes nomes da música brasileira, como Antônio Nóbrega, Siba, Juçara Marçal, Tulipa Ruiz, Jorge Du Peixe (Nação Zumbi), Anelis Assumpção e Assucena (As Bahias e a Cozinha Mineira), além de parcerias com Chico César, Kiko Dinucci e Arthur de Faria, entre outros.

O programa

Hora do Rango, apresentado por Colibri Vitta e premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), recebe ao vivo, de segunda a sexta-feira, ao meio-dia, sempre um convidado diferente com algo de novo, inusitado ou histórico para dizer e cantar. Os melhores momentos da semana são compilados e reapresentados aos sábados e domingos, no mesmo horário.