Inquietude

Da música ao teatro e a dança, Pedro Sá Moraes mostra a efervescência de sua arte

Criado no samba e estudioso da literatura, Sá Moreira conta sua trajetória no programa "Hora do Rango" desta sexta-feira, ao meio-dia, na Rádio Brasil Atual

Tomas Rangel/Divulgação
Com três álbuns lançados, peças de teatro e muitas curadorias artísticas, Pedro Sá Moreira se firma como um dos nomes da cultura brasileira

São Paulo — O cantor, compositor e violonista Pedro Sá Moraes é o convidado desta sexta-feria (30) do programa Hora do Rango, a partir do meio-dia, na Rádio Brasil Atual. Formado em psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC) e mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), começou sua carreira musical como intérprete de samba e lançou seu primeiro álbum, Claroescuro, em 2010. O disco foi considerado um dos dez melhores de World Music pelo jornal americano Boston Globe.

Com turnês pela Europa, América Latina, Ásia e América do Norte, foi escolhido pela rede nacional de rádios públicas (NPR) dos Estados Unidos como “um dos dez artistas que você deveria ter conhecido em 2012”. Violonista e também ator, Sá Moraes lançou, em 2013, seu segundo álbum, Além do Princípio do Prazer, se consolidando então como um dos expoentes da nova geração da música brasileira.

Membro fundador do Coletivo Chama, Sá Moraes é um dos âncoras do programa Rádio Chama, na rádio Roquette Pinto. A atuação no Coletivo Chama o levou a ser curador de vários projetos, como a mostra anual de música brasileira inovadora em Nova York, o Brazilian Explorative Music; a mostra de música e poesia Nascente e Foz, com participação de Paulo Betti e Júlia Lemmerz; a série de shows e debates Transversais do Tempo, entre outros.

Pelo coletivo, lançou em 2016 o álbum Todo Mundo é Bom, produzido e arranjado por Ivo Senra e Thiago Amud, com músicas de todos os membros do grupo, que inclui artistas como Fernando Vilela, Cezar Altai, Sergio Krakowski, Renato Frazão e Thiago Thiago de Melo. O Coletivo Chama é, ao mesmo tempo, uma reunião de músicos, um núcleo de produção cultural e um grupo de reflexão e pesquisa sobre os caminhos da arte e da cultura no Brasil.

No programa, Pedro Sá Moraes fala sobre a sua trajetória nas artes, que além da música inclui a dança e o teatro, seus projetos futuros e os rumos da cultura no Brasil.

O programa

Hora do Rango, apresentado por Colibri Vitta e premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), recebe ao vivo, de segunda a sexta-feira, ao meio-dia, sempre um convidado diferente com algo de novo, inusitado ou histórico para dizer e cantar. Os melhores momentos da semana são compilados e reapresentados aos sábados e domingos, no mesmo horário.

Leia também

Últimas notícias