Home Cultura Cine Birita apresenta pluralidade cinematográfica na noite paulistana
produção independente

Cine Birita apresenta pluralidade cinematográfica na noite paulistana

Mostra exibe cinco filmes independentes nesta quarta-feira, no Café dos Bancários, sediado no Edifício Martinelli, centro de São Paulo
Publicado por Gabriel Valery, da RBA
17:21
Compartilhar:   
divulgação
cena cine birita

Cena do curta ‘Na esquina da minha rua favorita com a tua’, da diretora Alice Name-Bomtempo

São Paulo –  Mostra de filmes independentes realizada em bares da capital paulista, Cine Birita volta amanhã (15). O local escolhido, que já sediou outras edições, será o Café dos Bancários, que fica no coração da cidade, na Rua São Bento, 413, no térreo do edifício Martinelli. A entrada é gratuita.

Serão exibidos cinco curtas-metragens com a temática da “sedução”. O organizador do evento, Danilo Motta, também assina a produção de uma das películas, o curta Um Frango para Dois, dirigido por MaicknucleaR. “Decidi fazer a estreia justamente numa edição com este tema, pois muito além da questão lúdica, os filmes abordam temas como diversidade sexual, masculinidade tóxica e timidez. São assuntos importantes, que precisam ser rediscutidos.”

Danilo conta sobre a extensa lista de filmes que recebe, o que mostra a pluralidade e capacidade de produção do audiovisual nacional. A natureza da mostra é, justamente, dar vazão e visibilidade a tais materiais. “Quando terminamos a produção do curta, dei uma olhada na lista de curtas que foram enviados para exibição no Cine Birita. Atualmente temos quase 200 curtas que ainda precisamos exibir”, revelou.

MaicknucleaR falou sobre os desafios de produzir e divulgar filmes de forma independente no Brasil. “Fazer o filme foi um desafio. Se não pudéssemos contar com o empréstimo dos equipamentos da Infolive Brasil, por exemplo, o filme não teria acontecido. Se tivéssemos que alugar tais equipamentos, é bem provável que talvez ainda estivéssemos correndo atrás de outros patrocínios (o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região também patrocinou a produção), de crowdfunding, essas coisas.”

O cenário fica ainda mais nebuloso, quando entram em cena temáticas plurais e produtores que fogem ao padrão da grande indústria já estabelecida. Em outras edições, por exemplo, o Cine Birita deu visibilidade a curtas produzidos por mulheres, em especial mulheres negras. De acordo com dados da Ancine, de 2016 a 2017 nenhuma mulher negra assinou a direção de nenhum longa comercial no país.

Para Felipe Ramires Lucena, diretor do curta Silêncio, a pluralidade e o lugar de fala devem ser respeitados. “Cinquenta por cento da minha equipe é formada por mulheres,  o que pra mim foi muito bom, porque conseguia ter um feedback em tempo real sobre o que elas achavam, já que era um homem falando sobre um assunto do qual as vítimas são mulheres. Elas entraram no projeto por terem acreditado nele inicialmente.

O cineasta relata uma curiosidade: para levantar dinheiro para suprir as necessidades básicas da equipe, recorreu a grupos de WhatsApp de amigos, família, e conseguiu levantar R$ 1.500. E o curta foi realizado com esse valor. Todos os profissionais estavam de forma voluntária, mas tiveram o básico para a boa realização do trabalho.”

Filmes que serão exibidos

Um Frango para Dois (dir. MaicknucleaR): ela está à espera de seu crush para um jantar romântico. A expectativa traz reflexões sobre até onde vale a pena ir por conta de um boy lixo. O filme fará sua estreia nesta edição do Cine Birita.

Silêncio (dir. Felipe Ramires Lucena): ela tem senso de humor, ele sabe seduzir. Ela conduz o papo com leveza, mas ele a deixa tensa. Ambos demonstram o mesmo interesse, mas por dentro as intenções divergem.

Cinzas (dir. Sarah Kacowicz): um possível casal, ao final de mais um Carnaval, alterna pensamentos e questionamentos sobre efemeridades da vida, buscando, um no outro, a companhia perfeita para uma quarta-feira de cinzas.

Na esquina da minha rua favorita com a tua (dir. Alice Name-Bomtempo): Helena foi ao cinema e conheceu Tainá. Tudo que aconteceu depois foi só um quase e, por algum motivo, não foi. Ou talvez tenha sido.

Acordes (dir. Henrique Rodriguez): garoto sofre com sua timidez e a constante indiferença das pessoas ao seu redor.

Serviço

Os filmes começarão a ser exibidos pontualmente às 19h, mas o público pode chegar mais cedo – a partir das 17h o Café dos Bancários já está de portas abertas para o happy hour. A entrada é gratuita e bancários sindicalizados têm 10% de desconto na hora de pagar a conta.

O Café dos Bancários fica na Rua São Bento, 413, centro de São Paulo. A casa aceita, além dos cartões de crédito e débito, os vales-refeição Alelo, Ticket, Sodexo, VR e Policard.