Nesta terça-feira, ao meio-dia

O ritmo e a cadência de Anaí Rosa no programa ‘Hora do Rango’

No estúdio da Rádio Brasil Atual, a cantora e musicista conta sua trajetória, canta ao vivo e fala do álbum em homenagem ao compositor Geraldo Pereira

Divulgação/Banda Mantiqueira
Anaí Rosa no Hora do Rango

Com o álbum ‘Anaí Rosa Atraca Geraldo Pereira’, a cantora faz uma releitura da obra do grande sambista e compositor carioca

São Paulo – O programa Hora do Rango desta terça-feira (2) apresenta a cantora e musicista Anaí Rosa. Formada em viola de arco na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o estudo da música clássica tem lhe dado um grande embasamento para desenvolver a carreira de intérprete da música popular brasileira, principalmente no samba.

Como cantora, Anaí Rosa ganhou os prêmios de “melhor intérprete” nos festivais de Poços de Caldas (MG) e de São João da Boa Vista, Piracicaba, Limeira e Avaré, no interior de São Paulo. Participou do Soma, grupo musical que gozou de muito prestígio em Campinas. Atualmente, é integrante das bandas Farinha Seca, que durante cinco anos tocou na “Noite da Gafieira Paulista”, no Bar Avenida, em São Paulo, e do grupo Havana Brasil, que faz shows regulares, aos domingos, no Bourbon Street, também em São Paulo. Ela fez ainda elogiadas apresentações com o compositor, violonista e cantor Guinga e com o saxofonista e clarinetista Proveta, líder da Banda Mantiqueira.

Além da agenda com as bandas Farinha Seca e Havana Brasil, a cantora tem divulgado seu último trabalho, o álbum Anaí Rosa Atraca Geraldo Pereira, em que faz uma releitura do compositor carioca, que completaria 100 anos em 2018. Nascido em Juiz de Fora (MG), ele fez carreira no Rio.

O programa

O Hora do Rango, apresentado por Colibri Vitta e premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte, recebe ao vivo, de segunda a sexta-feira, ao meio-dia, sempre um convidado diferente com algo de novo, inusitado ou histórico para dizer e cantar.

Os melhores momentos da semana são compilados e reapresentados aos sábados e domingos, sempre ao meio-dia.