Desigualdade em SP

Cultura é área mais prejudicada pela falta de investimentos públicos na capital paulista

Pesquisa da Rede Nossa São Paulo aponta ainda que a maior parte dos poucos recursos é direcionada às regiões centrais, enquanto muitos distritos periféricos não têm equipamentos culturais

Fernando Frazão EBC/Reprodução
Mapa da Desigualdade Cultura

Dos 93 distritos da capital paulista, 60 não têm museus, 54 não possuem cinemas e 53 não têm sequer um centro cultural

São Paulo – Conhecida como um dos principais polos culturais do Brasil, a cidade de São Paulo não oferece amplo acesso a essa área para toda sua população, como revela o Mapa da Desigualdade, divulgado recentemente pela Rede Nossa São Paulo. De acordo com o estudo, a cultura é a área mais prejudicada pela falta de investimentos públicos, sendo que estes baixos recursos são alocados principalmente em regiões centrais. 

Segundo a pesquisa, dos 93 distritos, 60 não possuem museus, 54 não dispõem de cinemas e 53 não têm sequer um centro cultural ou espaço de cultura para a comunidade. Entre os locais mais carentes nessa área, o de Campo Belo, na zona sul, é o que aparece mais vezes como pior distrito por ser o último colocado em 15 indicadores, já que não possui nenhum centro cultural, casa e espaço de cultura, cinema, museu, teatro e equipamento culturais públicos.

À repórter Beatriz Drague Ramos, da Rádio Brasil Atual, o gestor de projetos da Rede Nossa São Paulo, América Sampaio, aponta um agravante na questão do acesso à cultura sob as administrações de João Dória (PSDB) e Bruno Covas (PSDB), com a desconstrução de políticas culturais que haviam sido implantadas na periferia.

“Quando você não democratiza a cultura e concentra as políticas culturais para apenas um setor da elite da sociedade, na prática, o que está dizendo é que não quer levar para o conjunto da sociedade, em especial para os trabalhadores, mecanismos de análise crítica da realidade”, analisa Américo.

Ouça a reportagem: